Uma rápida volta pela Campus Party e você dá de cara com computadores que mais parecem saídos do filme Um Exterminador do Futuro. Mais do que apenas “computadores bonitinhos”, estas máquinas envenenadas são fruto de uma nova arte (e também uma ciência) chamada Case Modding, ou simplesmente Modding.

A palavra vem do inglês (case = gabinete, modding = modificação) e traduz bem seu significado. O modding nasceu da necessidade que alguns usuários de computadores viam de corrigir vários problemas que as máquinas da época sofriam. Era o final dos anos 90, e os computadores constantemente eram vítimas de super aquecimento, o que causava infinitas dores de cabeça a seus donos, que gastavam fortunas para consertar tudo. No Brasil, isso começou a acontecer com maior força entre 2001/2002 com o nascimento do site www.casemodbr.com.

O principal fundamento do modding é o de aliar praticidade com funcionalidade. Pouco tempo depois, fatores estéticos foram somados à essa fórmula e hoje em dia estes três itens são trabalhados em harmonia. A preocupação com a funcionalidade é extremamente importante para os artistas: afinal de contas, de nada adianta um computador lindo e cheio de luzes piscantes, se ele não funciona direito.

Os materiais usados nas modificações são os mais diversos: aço, alumínio, acrílico e até madeira. Os estilos são muitos, e vão desde os mais clássicos (em formato de cubo) até os mais bizarros, como os gabinetes em formato de privada, caixão, carrinho de plástico e muito mais. Um verdadeiro show à parte.

As principais melhorias causadas pelo modding são: melhor refrigeração do gabinete (o que aumenta a sua durabilidade), o monitoramento visual (o dono vê o que está funcionando bem ou não antes de quebrar), além é claro da satisfação pessoal de se ter construído uma verdadeira obra de arte moderna.

Vale lembrar também que o modding foi uma das primeiras práticas que usaram materiais reclicados, contrubuindo ainda mais com a conscientização ecológica dos usuários. Grande parte dos adeptos desta arte usam materiais que encontram sem uso, e aprendem a fazer tudo sozinhos, na prática – poucos deles são experts em eletrônica ou engenharia.

Para começar a se aventurar na Case Modding, uma ótima porta de entrada é o fórum do site casemodBR. Hoje em dia já existem uma porção de lojas que vendem materiais próprios para usar nas suas modificações e mesmo cases customizados já prontos – mas o legal é você mesmo fazer tudo sozinho, injetando personalidade e criatividade em seu projeto. Afinal de contas, ter um computador que é a sua cara (e exibí-lo aos seus amigos que vão com certeza morrer de inveja) é o máximo!!!

Modding: muito mais que um computador bonitinho

Sem mais artigos
Sair da versão mobile