Carioca, 21 anos, destaque nas pistas de kart do Brasil desde os 10 anos de idade e uma das grandes promessas do automobilismo brasileiro. Este é Nicolas Costa, atual campeão da Fórmula Abarth, antiga Fórmula Azzurra, que igualou-se a Felipe Massa, até então único brasileiro campeão Europeu na categoria, em 2011, que sonha em figurar na F1 em um futuro próximo, mas adota cautela ao falar sobre o assunto.

“Todo mundo sonha com a F1 né cara?! Como atualmente eu piloto um carro menos potente, acho que falta mais um pouco de experiência e rodagem para eu tentar uma chance por lá. Não quero pular etapas. Quem sabe daqui uns quatro ou cinco anos eu não pinte como novidade”, disse Nicolas em entrevista exclusiva ao Virgula Esporte.

Fã de corrida desde criança, Nicolas revela que seu amor pelos carros é algo inexplicável. “Eu tenho a paixão do automobilismo desde os três anos de idade, e olha que nem foi por influência familiar. Naquela época, eu sabia o nome de alguns carros já, sempre fui fanático por isso. E a vontade de correr vem desde sempre, antes dos 10 anos de idade eu queria acelerar”, explicou.

Assim como todo amante e profissional do automobilismo, Nicolas não esconde sua admiração pelo maior ídolo da categoria, mas lamenta por não ter acompanhado Ayrton Senna de perto e ao vivo.

“Não tem como fugir muito né?! Ayrton Senna foi o cara. Confesso que não o acompanhei quando era vivo, mas sempre ouvi falar, li sobre ele, pesquisei, assisti vídeos e sei do que ele representa para o automobilismo e para o esporte brasileiro”, disse.

Sobre o atual momento da F1, onde muitas vezes a parte financeira fala mais alto que o talento dos pilotos, Nicolas não se mostrou preocupado, mas lamenta a ausência de brasileiros e também a falta de investimento na base.

“Com o meu futuro eu não estou tão preocupado. Já estou a um tempo correndo e isso não me atrapalha. O que acho preocupante é a falta de incentivo em nosso país. Com bons pilotos, conseguimos atrair patrocinadores, mas sem o investimento nas categorias de base, isso não vai acontecer. Sem os resultados positivos, a mídia e os investidores se afastam, e isso só faz com que o esporte perca espaço. Com relação a F1, esse lance do dinheiro é bem prejudicial, mas ainda acho que o talento sempre falará mais alto”, explicou.

Por fim, questionado sobre quem seria o grande favorito ao título da F1 este ano, Nicolas destacou a competitividade que a categoria passou a proporcionar aos fãs e pilotos, mas apostou no tetracampeonato de Vettel.

“Baseado nos testes de pré-temporada, é bem difícil avaliar. Temos a Mercedes e a Ferrari muito bem nesse início, mas Vettel é Vettel e fico com ele”, finalizou.

Veja abaixo o cartel completo de conquistas da jovem promessa do automobilismo brasileiro:

Em três anos no automobilismo, Nicolas conquistou três títulos:

2010 – Formula Future (Campeão), Skip Barber, Florida Winter Tour – EUA,
2011 – Fórmula Abarth – 5° colocado.
2012 – Fórmula Abarth – Campeão Europeu e Italiano.

Principais Títulos (kartismo e automobilismo):

Bi-Campeão Carioca de Kart 2002/2003
Bi- vice campeão carioca de Kart 2004/2005
Campeão Copa Espaço Motor 2003
Campeão Copa DTM 2004
Heptacampeão Copa RKC 2005/2006
Campeão Interestadual de Kart Indoor 2007
Campeão Torneio de Verão Aldeia da Serra 2006
Campeão Seletiva Brasileira para Mundial Indoor 2007
Campeão Paulista da Granja Vianna 2008
Vice- campeão Seletiva de Kart Petrobras 2008
Vice-campeão Brasileiro de Kart 2009
Campeão do Trófeu de Inverno da Fórmula Abarth Italiana 2010
Campeão Brasileiro da Fórmula Futuro Fiat 2010
1º Brasileiro entre seis pilotos do mundo a conquistar vaga na FERRARI DRIVER ACADEMY 2010.
Campeão Europeu e Italiano de Fórmula Abarth 2012  

Sem mais artigos