Além de estar em grande fase, Daniel Ricciardo contou neste domingo com uma boa dose de sorte traduzida em uma batida entre os dois pilotos da Mercedes, Nico Rosberg e Lewis Hamilton, no início do Grande Prêmio da Bélgica de Fórmula 1, para vencer a prova e se consolidar em terceiro na classificação geral do Mundial de pilotos.

Rosberg, que havia perdido a liderança para Hamilton na largada, perdeu parte da asa dianteira ao tentar recuperar a posição. Pior para o inglês, que teve o pneu esquerdo traseiro furado, perdeu tempo nos boxes, iniciou uma corrida de recuperação, mas no fim precisou abandonar, com problemas no carro.

O alemão conseguiu terminar em segundo, e aumentou sua vantagem sobre o companheiro na disputa pelo título da temporada. Rosberg tem agora 220 pontos, contra 191 de Hamilton. Ricciardo, com a terceira vitória no ano e a segunda seguida, soma 156.

Felipe Massa, que largou em nono, ficou fora da zona de pontuação ao chegar em 13º, muito longe do companheiro de Williams, o finlandês Valtteri Bottas, que acabou em terceiro. O brasileiro teve falta de sorte por causa do acidente entre Rosberg e Hamilton. Pedaços do pneu do inglês ficaram presos embaixo de seu carro e o fizeram perder rendimento. No Mundial, Massa amarga a décima posição, com 40 pontos, e Bottas, quinto, tem 110.

O finlandês Kimi Raikkonen terminou em quarto, e Sebastian Vettel, que protagonizou uma emocionante disputa pelo quinto lugar nas últimas voltas, levou a melhor sobre o dinamarquês Kevin Magnussen e o inglês Jenson Button, ambos da McLaren, e de Fernando Alonso, da Ferrari, que respectivamente terminaram em sexto, sétimo e oitavo. O mexicano Sergio Pérez, da Force India, chegou em nono, e o russo Daniil Kvyat, da Toro Rosso, em décimo.

Como o clima na Mercedes já estava quente devido à disputa caseira, com a batida de hoje, o tom de preocupação ficou evidente no rosto do diretor executivo Toto Wolff. Com pista seca, a equipe era grande favorita a emplacar uma dobradinha no circuito de Spa-Francorchamps, mas ao invés de somar 43 pontos no Mundial de construtores, teve que se contentar com os 18 de Rosberg pelo segundo lugar. Mesmo assim, na disputa entre equipes, a vantagem sobre a segunda colocada Red Bull ainda é muito grande: 393 a 219.

Sem mais artigos