Se hoje os nerds foram levados à categoria de ídolos pop e o lançamento de um gadget é aguardado da mesma forma que um CD era há algumas décadas, a “culpa” disso tudo pode ser atribuída a Steve Wozniak.

“iWoz” é um dos fundadores da Apple e nesta semana estará no Brasil para uma palestra na Campus Party (22 de janeiro, às 19h), o maior evento de celebração da cultura digital da América Latina, que acontece em São Paulo entre os dias 17 e 23 deste mês.

Woz, de 60 anos, é um ídolo entre os entusiastas da tecnologia por vários motivos. O principal deles é que surgiu de sua cabeça o conceito de computador pessoal. Sim, se você hoje está lendo este texto com um notebook no colo, saiba que essa já era a visão do gordinho barbudo lá pela década de 1970.

Wozniak tinha essa mentalidade porque ele não era como os outros nerds da época. Ele não tinha nada de antissocial, pelo contrário, é famoso pelo bom humor e pelo jeito descolado. Já namorou a comediante Kathy Griffin, participou do seriado geek The Big Bang Theory, do desenho Futurama e até mostrou suas habilidades de dançarino no reality show Dancing with the Stars.

Ele é totalmente o oposto do ex-colega e ex-amigo Steve Jobs, o gênio que recriou a Apple no final dos 1990 e a transformou no ícone pop atual. Woz é um sujeito tão legal que ao sair da Apple, em 1985, doou toda a sua fortuna para uma escola local, na cidade onde vive até hoje.

Dois perdidos em uma garagem suja

Woz conheceu Jobs em 1975, em um clube de aficionados por computação em Palo Alto, Califórnia. Os dois logo se tornaram amigos por acreditarem que era possível construir um micro barato e acessível, algo fora do padrão para a época, pois apenas grandes empresas os utilizavam (eles eram enormes).

Para construir o protótipo eles venderam suas calculadoras científicas e até uma van. O primeiro filho dos dois, batizado de Apple I, foi criado inteiramente por Woz e Jobs, sempre marqueteiro, soube como vendê-lo.

Todo de madeira, o Apple I surpreendia por já vir inteiramente montado: ele tinha até microprocessador. Duzentas unidades dele foram produzidas (cada um custava US$ 666,66) e em 1976 os dois criaram a Apple Computer Inc.

O sucesso foi tamanho que logo a empresa foi avaliada em US$ 1 milhão. Woz rapidamente largou seu emprego na HP e começou a se dedicar a melhorias do projeto, moldando a figura do computador pessoal que existe até hoje, assim como o conceito clássico da Apple: simplicidade e usabilidade, sempre.

O Apple II tinha um monitor e, uau, exibia figuras além de apenas números como anteriormente. Uma altíssima resolução para a época. Woz também escrevia os códigos dos programas de suas invenções, como o drive de disquetes. Até som o seu computador emitia.

Ao virar pública, a Apple os deixou milionários em 1980 e garantiu à empresa sobrevivência nos fracassos Apple III e Lisa. O dinheiro era tamanho que, mesmo após duas criações mal-sucedidas, Woz pode desenvolver o Macintosh (hoje chamado apenas de Mac), o grande símbolo da marca até o surgimento do iPod. É dele a ideia do mouse, depois, copiado claramente por Bill Gates.

É que na mesma época surgia a Microsoft, criando uma rivalidade que perdura até os dias atuais. Sabe lá o motivo, mas Wozniak desencanou um pouco da Apple, dedicou-se aos estudos e depois a ser professor.

Após sua saída, ele teve a visão de que o futuro estaria nos aparelhos remotos, sem fio, e abriu uma empresa dedicada a esse tipo de eletrônico. Jobs, capitalista e ambicioso como sempre, brigou com ele e chegou a proibir seus fornecedores de realizar negócios com o antigo sócio.

Desde então Woz tem uma vida tranquila, sempre é chamado para palestras e consultorias, além de receber diversos prêmios e honras pelo seu trabalho, hoje muito mais ligado à filantropia. Ele nunca mais criou um produto revolucionário, mas suas palavras nunca são ignoradas pelos desenvolvedores: recentemente ele deu pitacos de que programas com reconhecimento de voz serão o futuro.

Sua conversa na Campus Party promete ser das mais concorridas. Não estranhe ao vê-lo autografando computadores, contando piadas ou até sambando. Ele pode: Woz é o geek mais cool de todos os tempos.

Saiba quem é Steve Wozniak, o geek mais cool de todos os tempos

Sem mais artigos