O piloto italiano Valentino Rossi, que disse neste domingo que deixará a Yamaha no fim da atual temporada, assinou contrato de dois anos de duração com a Ducati, de acordo com comunicado divulgado pela própria equipe italiana.

“Estamnos felizes em anunciar que Valentino Rossi estará conosco a partir de 2011”, afirmou o presidente da Ducati, Gabriele del Torchio.

O diretor-geral da equipe, Filippo Preziosi, classificou Rossi como “um grande apaixonado pelas motos”, e disse sempre ter escutado suas opiniões “com prazer”.

“Até o Grande Prêmio de Valência, (Rossi) seguirá sendo um adversário, mas desde o momento em que pilotar uma Ducati pela primeira vez, trabalharemos juntos em todos os detalhes para desenvolver um moto capaz de exibir seu grande talento. Trabalhar com Valentino é uma das coisas mais excitantes para um engenheiro”, explicou Preziosi na nota.

Rossi anunciou sua saída da Yamaha após o GP da República Tcheca, prova na qual terminou em quinto lugar e que foi vencida por seu companheiro na equipe japonesa, o espanhol Jorge Lorenzo.

“Chegou o momento de buscar novos desafios. Meu trabalho na Yamaha terminou. Infelizmente, até as mais belas histórias de amor têm um final, mas deixam várias boas lembranças, como quando minha M1 e eu nos beijamos pela primeira vez sobre a grama de Welkom, quando ela olhou nos meus olhos e me disse: te amo”, explicou, bem humorado, o heptacampeão mundial de MotoGP.

“Muitas coisas mudaram desde 2004 (quando chegou na Yamaha), mas especialmente ela, a M1. Naqueles tempos, era uma modesta moto de meio de grid, e que muitos pilotos evitavam. Agora, após ajudá-la a crescer e a melhorar, já é possível vê-la sorridente nos boxes, cortejada e admirada, tratada como a rainha da categoria”, acrescentou.

Rossi ainda disputará oito corridas pela Yamaha no Mundial deste ano.

Sem mais artigos