Passados quase três anos e 44 corridas desde o Grande Prêmio da Malásia de MotoGP de 2010, o italiano Valentino Rossi (Yamaha Factory) voltou a vencer um corrida na principal categoria do motociclismo neste sábado, o GP da Holanda, disputado no circuito de Assen.

Heptacampeão mundial, Rossi largou em quarto lugar, mas ainda na primeira volta assumiu a terceira posição, deixando o pole position, o inglês Cal Crutchlow (Yamaha Tech 3) para trás. Nas voltas cinco e seis, ele ultrapassou os espanhóis Marc Márquez e Dani Pedrosa, ambos da Repsol Honda e assumiu a dianteira para não mais deixá-la.

O italiano então precisou apenas administrar a corrida até receber a bandeirada à frente de todos os concorrentes pela primeira vez desde outubro de 2010.

Márquez, que disputou a prova em Assen com fraturas em um dedo da mão e outro do pé, ainda apertou o ritmo no fim tentando ameaçar Rossi, mas completou a prova em segundo. Crutchlow deixou Pedrosa para trás e ainda atacou o outro piloto da Repsol Honda, mas ficou em terceiro.

A grande surpresa do GP da Holanda, no entanto, foi o desempenho do atual campeão. Jorge Lorenzo (Yahama Factory) quebrou a clavícula na sexta-feira (28), foi operado na madrugada de sábado e mesmo assim disputou a corrida, na qual largou em 11º lugar e chegou em quinto.

A quarta colocação na corrida manteve Pedrosa como líder da temporada, com 136 pontos, nove a mais que Lorenzo. Márquez (113), Crutchlow (87) e Rossi (85) aparecem logo em seguida. 

Sem mais artigos