O novo sistema operacional da Microsoft, o Windows 8, a maior renovação promovida pela companhia em 17 anos, foi lançado nesta quinta-feira em Nova York, mas para apresentá-lo não foi necessário clicar no tradicional botão “Iniciar”, uma das maiores inovações que os usuários terão que se adaptar.

“Windows 8 é o maior marco na evolução e revolução da informática. Reinventamos o Windows completamente”, garantiu o diretor do sistema operacional da Microsoft, Steven Sinofsky, durante a apresentação do novo sistema, que inclui muitas novidades como uma interface completamente remodelada.

Assim, em substituição ao botão “Iniciar” convencional, o Windows 8 reúne na tela em primeiro plano todos os aplicativos, contatos, páginas e informações utilizadas pelo usuário, através de ícones coloridos agrupados e pelos quais se pode navegar usando os já tradicionais teclado e mouse, mas também com toques dos dedos, a chamada “touchscreen”.

Deste modo, as touchscreens popularizadas pelos tablets e outras plataformas móveis invadem os PCs, e as fronteiras entre ambos os dispositivos diminuíram, a fim de que o usuário possa produzir conteúdos, mas também consumi-los, “trabalhar e se divertir”, segundo o diretor-executivo da Microsoft, Steve Ballmer.

As mudanças drásticas geraram opiniões de perplexidade e confusão entre alguns
dos usuários que tiveram acesso às versões de testes.

Além disso, o Windows 8 se conecta a nuvem, batizada pela Microsoft como SkyDrive, a fim de que o navegante possa armazenar seus arquivos e acessá-los instantaneamente de qualquer dispositivo que opere com este sistema.

A conexão com a internet ganha velocidade, reduzindo o tempo para até um segundo, em relação aos 15s do sistema operacional anterior, o Windows 7, que saiu no mercado há três anos e do qual foram vendidas 670 milhões de licenças.

Seu sucessor poderá ser adquirido a partir de amanhã em 140 países, depois que mil modelos de PCs tenham sido certificados para que possam funcionar com o novo software, que também será lançado nas versões Windows 8 Pro e Windows RT.

Este último será o sistema de outra das inovações apresentadas hoje por Microsoft, um tablet chamado Surface com o qual pretendem enfrentar concorrentes como o iPad da Apple e os dispositivos baseados na tecnologia Android do Google.

O Windows RT funciona com um processador ARM, pensado para dispositivos mais leves, ao contrário do X86 da Intel. Desta maneira, a Microsoft pretende desembarcar, a partir de amanhã, no mercado dos tablets, do qual até agora não fazia parte.

O tablet Surface, que dispõe do software Office para potencializar a criação de conteúdos, conta, além disso, com diferenças em relação aos seus concorrentes como várias portas USB, um teclado integrado e uma base para que possa ser colocado sobre superfícies, e terá um custo de US$ 499.

Mas, além dos tablets, o Windows 8 poderá ser utilizado em um grande número de dispositivos, que vão desde os computadores de mesa aos portáteis (que por sua vez podem se transformar em tablets), passando pelos smartphones, graças aos acordos com fabricantes como Dell, Samsung, AsusTek, Sony e Acer.

“Realmente reinventamos o Windows e inauguramos uma nova era para a Microsoft e nossos clientes. Os PCs com o Windows 8 serão os melhores de todos os tempos”, ressaltou Ballmer.

O novo sistema incorpora uma versão atualizada do navegador da Microsoft, o Internet Explorer 10, assim como ferramentas e aplicações do buscador da empresa, o Bing.

Outra possibilidade do Windows 8 é a de poder realizar várias tarefas simultaneamente, como consultar o e-mail sem deixar de ver um vídeo.

Por outro lado, a Microsoft vai abrir uma loja online do Windows na qual poderão ser adquiridos aplicativos para o novo sistema operacional.

Por enquanto, o sistema conta com apenas um terço dos aplicativos disponíveis para produtos da Apple e do Google. A Microsoft prevê que serão acrescentados centenas de novos aplicativos a cada dia em 109 idiomas.

Tudo isto faz do Windows 8 a renovação mais importante já feita pela Microsoft no campo dos sistemas operacionais desde o Windows 95, ou seja, se trata de sua aposta mais forte em 17 anos. 

Sem mais artigos