O multimilionário Mark Zuckerberg, fundador e executivo-chefe do Facebook, iniciou nesta segunda-feira em Nova York uma viagem pelos Estados Unidos na busca de potenciais investidores para a esperada oferta pública de venda de ações (OPV), com a qual a popular rede social planeja sair à bolsa no dia 18 de maio.

Acompanhado de uma pequena equipe de assistentes e colaboradores e rodeado por várias câmeras e fotógrafos, Zuckerberg chegou muito sorridente a um conhecido hotel do centro de Manhattan após as 12h30 no horário local (13h30 em Brasília) onde centenas de potenciais investidores interessados na OPV do Facebook lhe esperavam.

O executivo-chefe da maior rede social do mundo, que na próxima semana completará 28 anos, escolheu Nova York como primeira parada de uma viagem que lhe levará por diferentes regiões dos EUA para apresentar a operação, para a qual foi fixado um preço de saída à bolsa de entre US$ 28 e US$ 35 por ação.

Segundo os documentos apresentados na semana passada perante a Comissão da Bolsa de Valores dos Estados Unidos (SEC), a rede social fundada há oito anos nos corredores de Harvard levará à bolsa 180 milhões de ações comuns de classe A e os atuais acionistas da empresa venderão outros 157,4 milhões.

Entre os acompanhantes de Zuckerberg para o encontro em Nova York, onde às portas do hotel foi formada uma longa fila de pessoas ansiosas para escutar os argumentos do jovem empresário, se destacam a diretora de operações do Facebook, Sheryl Sanberg, e o diretor financeiro, David Ebersman, entre outros.

A rede de televisão “CNBC” afirmou após o encontro que alguns dos potenciais investidores saíram contrariados da apresentação, já que apenas foi projetado um vídeo de 30 minutos que está circulando na internet desde a semana passada, enquanto Zuckerberg chegou tarde à sessão de perguntas e respostas.

Após sua rápida passagem por Nova York, onde esteve por apenas duas horas, a equipe do Facebook planeja continuar a viagem por outras cidades do país, como Boston e Baltimore, na costa leste dos EUA, Chicago, no centro do país, e San Francisco e Los Angeles, no litoral oeste.

Neste fim de semana, o multimilionário Warren Buffet afirmou em um encontro com investidores que não tem a intenção de investir na rede social, enquanto seu sócio em Berkshire Hathaway, Charlie Munger, disse que eles não investem em algo que não entendem e que “não têm interesse em compreender o que é Facebook”.

Uma vez concluída a operação de saída à bolsa, Zuckerberg terá o controle de 57,3% da companhia quando começar a ser cotada sob o símbolo “FB” no mercado nova-iorquino Nasdaq, que conta com algumas das grandes empresas tecnológicas do mundo como, Google, Apple e Microsoft, entre outros.

O Facebook, que espera arrecadar até US$ 11,8 bilhões com sua esperada estreia em Wall Street, reduziu seu lucro em 12% no primeiro trimestre por causa de um aumento significativo em suas despesas, informou a companhia em um relatório emitido no dia 23 de abril à Comissão da Bolsa de Valores dos EUA.

A popular rede social, que já conta com 901 milhões de usuários ativos a cada dia em todo o mundo, registrou em 2011 uma sólida receita de US$ 3,7 bilhões, 88% a mais que em 2010, enquanto seu lucro líquido alcançou US$ 1 bilhão, 65% a mais no índice anualizado. 



Sem mais artigos