Adriano foi mais uma vez envolvido em uma polêmica. Em matéria do jornal “O Dia” desta terça-feira (16), o atacante teve seu nome ligado ao chefe do tráfico dos morros da Fé, Chatuba, Caracol e Serena, Paulo Rogério de Souza Paz, o ‘Mica’.

Segundo a reportagem do diário, Mica seria uma das “pessoas ruins” citadas por Adriano após o gol da vitória ante o Vasco na mensagem “Que Deus perdoe essas pessoas ruins”. No entanto, a polêmica não para na mensagem.

Em julho de 2008, quando ainda defendia o São Paulo, o atacante do Flamengo teria comprado uma moto no valor de R$ 35 mil e registrado no nome da mãe de Mica, que tinha 64 anos e nunca tivera obtido uma Carteira Nacional de Habilitação.

Em entrevista ao “O Dia”, o sub-gerente da loja de Vicente de Carvalho, André Luiz, afirmou não lembrar da compra efetuada por Adriano. No entanto, outro funcionário garantiu que o atacante adquiriu a moto, mas não lembra para quem o veículo foi entregue.

A moto Hornet preta foi licenciada no nome de Marlene Pereira de Souza, mãe de Mica, no dia 14 de julho de 2008. Dez meses depois da compra, o veículo foi transferido para um morador de Duque de Caxias.

Na última segunda-feira (15), outro jogador do Flamengo teve seu nome ligado ao tráfico: Vágner Love foi à favela da Rocinha escoltado por pessoas armadas antes de um baile funk.

Sem mais artigos