Segundo o jornal Folha de S. Paulo, desta quarta-feira (24), a Arquidiocese do Rio de Janeiro está cobrando uma indenização da Columbia Pictures por causa o uso indevido das imagens do Cristo Redentor no filme 2012. Antes mesmo das gravações do longa, o estúdio tinha consultado a arquidiocese, mas o uso das imagens tinha sido negado.


 


De acordo com a publicação, a Igreja não cobra pelo uso das imagens do Cristo, mas possui poder de veto sobre elas. “O Cristo é um símbolo religioso e deve ser preservado”, disse Claudine Dutra, coordenadora do Departamento Jurídico da arquidiocese.


 


A reportagem ainda diz que as negociações começaram em dezembro e o estúdio deve uma retratação pública por escrito. Rodrigo Saturnino Braga, diretor-geral da Columbia, admitiu o recebimento de uma notificação e declarou que advogados do estúdio em Los Angeles estão cuidando do caso.


 


O filme, dirigido por Roland Emmerich, estreou em novembro do último ano no Brasil e mostra uma catástrofe em grande estilo, baseada na antiga previsão do povo maia de que a Terra vai acabar em 2012. Um tsunami gigantesco começa o processo devastador que inclui até cenas do Cristo Redentor se esfacelando.

Sem mais artigos