Para muita gente, chuva é sinônimo de prejuízo para móveis externos, mas a verdade é que nao tem que ser assim. Na coluna desta semana, o tema é exatamente a importância de escolher materiais resistentes às variações de temperaturas e exposição ao sol e chuva intensos.
 
Madeira é o material mais usado para decorar áreas externas, mas nem todo mundo sabe que escolher o tipo certo faz toda a diferença. Dê preferência à itaúba, ipê e eucalipto, que são as mais resistentes às variações de temperatura e a água e nao por acaso, bastante usadas para fazer decks, pergulados e móveis.

Alguns móveis ecológicos e com design diferenciado, como os fabricados com toras de árvores mortas, terão maior durabilidade em áreas cobertas como varandas ou caramanchões protegidos.
 
Para áreas de piscinas ou totalmente descobertas existem fibras sintéticas, móveis em alumínio, vidro e pedras que garantem a durabilidade exigindo pouca ou nenhuma manutenção. Os tecidos que compõem a decoração poderão ser marítimos, da linha feita para barcos, ou telados, material que permite a permeabilidade nas chuvas intensas.

Prestar atenção no tipo de espuma também é importante para garantir a durabilidade de futons e almofadas. Dê preferência às impermeáveis e cheque se as costuras das peças são blindadas para evitar que a água permeie, o que danificaria as fibras encharcando as peças. Com essas dicas, você pode passar a apreciar as chuvas de verão sem nenhum prejuízo ou preocupação.

Adriana Victorelli é arquiteta da NeoArq*

Sem mais artigos