Dois carros, um Chevy HHR e uma camionete Ford F-150, foram convertidos para usar papel como combustível. A ideia é usar os intermináveis e inúteis formulários do governo americano que foram inutilizados nos últimos anos devido ao processo de informatização e digitalização.

A empresa Novozyme, em parceria com a Fiberight, desenvolveu uma mistura de biocombustível ao processar os papéis usando enzimas específicas, que acabam por fermentar o lixo. A mistura ainda conta com 25% de gasolina. O primeiro teste público foi realizado hoje, 28, em Washington, capital dos Estados Unidos.

Certamente a novidade não será comercialmente viável, pois haja papel para ser usado como combustível. Mas a questão central é o desenvolvimento de uma tecnologia capaz de processar qualquer tipo de lixo e o transformar em biocombustível, principalmente aquele que acaba em aterros sanitários, poluindo o solo e ocupando espaço inutilmente.

Sem mais artigos