O atacante português Cristiano Ronaldo, que joga no Real Madrid e é natural da Ilha da Madeira, se disse “consternado” pelas consequências do temporal que atingiu ontem o arquipélago, a cujas autoridades se dispôs ajudar no que for possível.

O jogador classificou como “uma grande catástrofe” e “uma tragédia sem precedentes” as chuvas torrenciais e os deslizamentos de terra que mataram pelos menos 40 pessoas e deixaram mais cem feridos na localidade.

“Ninguém consegue ficar indiferente a esta calamidade de grandes proporções, muito menos eu, que nasci e cresci na Madeira, uma ilha que, obviamente, me diz muito”, disse o atacante em declarações divulgadas por seus representantes.

Cristiano Ronaldo, considerado o jogador mais caro do mundo, além de fazer questão de se unir “à dor de toda a população”, mostrou-se disposto, “na medida do possível, a ajudar os organismos e entidades oficiais” nos trabalhos destinados a superação “dos efeitos desta grande devastação”.

O atacante nasceu em 1985, em um bairro pobre de Funchal, a capital do arquipélago da Ilha da Madeira, cujas principais vias e bairros encontram-se completamente alagados.

Sem mais artigos