Falando de dentro do avião que o levou de volta para os Estados Unidos, nesta quinta-feira (24),  David Goldman, pai do menino Sean Goldman, que foi alvo de uma longa briga jurídica entre ele e a família brasileira do garoto, especialmente o padrasto, João Paulo Lins e Silva, e a avó materna, Silvana Bianchi (a mãe, Bruna Bianchi, morreu em 2008, durante o parte de Chiara, sua filha com João Paulo), declarou que, com o tempo permitirá que Silvana visite o neto nos Estados Unidos.

Em entrevista para um repórter da rede de televisão norte-americana NBC, responsável pelo fretamento da aeronave que levou pai e filho para o território norte-americano, David comemorou, lembrando que “meu garotinho está a alguns metros de mim, dormindo, em paz, meu coração está se derretendo. Eu o amo”.

Ambos seguiram para Orlando, na Flórida, onde chegaram ontem para passar o Natal e os próximos dias, e o repórter da NBC que acompanhou a viagem informou que pai e filho brincaram durante grande parte do voo, antes que Sean dormisse. Neste momento, seu pai afirmou que “vai levar algum tempo, mas não vou negar a ela (Silvana) e a ele se conhecerem”.

A reportagem ouviu ainda um psicólogo infantil que confirmou a possível dificuldade de adaptação, especialmente no primeiro mês (o menino vai morar em Nona Jersey, onde há uma onda de frio e de tempestades de neve, ao contrário do Rio de Janeiro), antes de David finalizar sua participação revelando que o quarto do filho está intocado desde 2004, quando Bruna e a criança, então com quatro anos, deixaram os Estados Unidos.

David Goldman diz que permitirá visitas da avó de Sean

Sem mais artigos