A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, será confirmada neste sábado (21) como pré-candidata única do PT à Presidência da República nas eleições deste ano. A decisão será tomada em Brasília, no terceiro dia do 4º Congresso do Partido dos Trabalhadores.

Assim como ocorreu com o presidente Lula nas eleições passadas, em 2006, por ser candidata única, Dilma não terá que ser aprovada por prévias, eleições internas feitas pelo partido quando não há consenso na escolha do candidato. No PT, a última vez em que foi realizado esse processo em nível federal foi em 2002, quando Lula disputou – e venceu – a indicação à candidatura com o senador paulista Eduardo Suplicy.

Mesmo após ser referendada por seu partido, a ministra-chefe da Casa Civil não se afastará do cargo. Segundo o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, ela “só saíra do cargo no último segundo que a lei permitir”. A legislação eleitoral prevê que candidatos com cargos públicos devem ser licenciados em abril, seis meses antes da eleição.

Sem mais artigos