O controverso desenho South Park ganhou mais um capítulo em sua lista de polêmicas: no episódio exibido na última quarta-feira (21), o desenho do profeta Maomé foi tapado com uma tarja de “censurado” após ameaças feitas no site da organização fundamentalista Revolution Muslim, que fica nos Estados Unidos. Além disso, as menções a seu nome receberam um “bip” e, em seu lugar, foi Papai Noel quem vestiu uma roupa de urso.

Em seu site, que foi retirado do ar, a entidade ameaçou os criadores do desenho, Trey Parker e Matt Stone, dizendo que eles “ofenderam diretamente” Maomé. O post também fez referências ao cineasta holandês Theo Van Gogh, assassinados em 2004 por seguidores do Islã quando fazia um filme sobre os maus tratos sofridos pelas mulheres muçulmanas, e citou o endereço do escritório da produtora Comedy Central e do estúdio onde o programa é feito.

“Nós temos de advertir Matt e Trey de que o que eles estão fazendo é estúpido e que provavelmente vão ficar em uma situação complicada por colocar o programa no ar”, escreveu o autor do texto, Abu Talhah Al-Amrikee . “Não é uma ameaça, mas uma advertência sobre a realidade do que pode acontecer com eles.”

Em declarações oficial, Parker e Stone disseram que “fizemos South Park por 14 anos e nunca voltamos atrás em nossas decisões. Entregamos a nossa versão do episódio para a Comedy Central e eles fizeram as alterações que quiseram”. A informação foi confirmada pela produtora.

Episódio de South Park é censurado por ameaças de fundamentalistas islâmicos

Sem mais artigos