O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciaram na manhã desta quarta-feira (3) a segunda família de cédulas do real. A substituição gradativa das cédulas de dinheiro que circulam no país começa no primeiro semestre deste ano e deverá ser concluída em 2012.

Deste modo, as novas cédulas conterão itens de segurança mais sofisticados e layout mais atraente, com destaque para as de R$ 50 e de R$ 100, que terão as atuais figuras de animais na horizontal e em imagem tridimensional.

Haverá ainda alteração em alguns tamanhos: as notas de dois reais serão as menores, e o aumento está relacionado com a importância (valor) da cédula, a exemplo do que ocorre na zona do euro. Com isso, o governo pretende atender a demanda de deficientes visuais, que também poderão identificar as cédulas através de marcas em revelo.

Segundo Henrique Meirelles, as cédulas que já estão em circulação vão continuar valendo e o Banco Central será responsável pela substituição dos papéis junto aos bancos. “A população não precisa correr aos bancos para trocar as notas”, explicou Meirelles.

Sem mais artigos