Considerado o indicador de inflação oficial do país, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido pelo IBGE, teve em janeiro o maior patamar desde maio de 2008, graças principalmente ao forte aumento no preço dos alimentos. O índice fechou o primeiro mês do ano com elevação de 0,75%, praticamente o dobro dos 0,37% aferidos em dezembro.

A soma dos últimos doze meses foi de 4,59%, acima dos 4,31% atingidos em 2009. Calculado pelo IBGE desde 1980, o IPCA utiliza famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos. Apenas o grupo alimentos e bebidas respondeu por um terço do índice, encerrando o período com alta de 1,13%, quatro vezes superior aos 0,24% aferidos em dezembro.

Em nota, o IBGE alegou que “a subida nos preços dos alimentos pode ser atribuída à ocorrência das chuvas que vêm afetando desfavoravelmente as lavouras de importantes pólos produtores, além de outros fatores”. Os itens que mais aumentaram foram cenoura e batata inglesa, com aumentos de 12,21% e 10,80%, respectivamente.

O IBGE anunciou ainda mais dois índices de inflação: o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que é utilizado para famílias com renda entre um e seis salários mínimos, teve evolução de 0,88%, enquanto o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) teve valorização de 0,42%, resultado 0,12 ponto percentual abaixo de dezembro.

Sem mais artigos