John Terry, o capitão do Chelsea e da seleção inglesa, recebe 10 mil libras (11,28 mil euros) em dinheiro para visitas guiadas particulares ao centro de treinamento do clube londrino, sem que a entidade tenha conhecimento disso.

Essa informação está na edição de hoje do jornal “News of the World”, que publica um vídeo no qual o jogador aparece fechando o trato junto com Tony Bruce, um conhecido revendedor de entradas de futebol que atua como intermediário entre o jogador e os visitantes.

Repórteres do jornal se fizeram passar por ricos executivos e torcedores do Chelsea, e entregaram o dinheiro ao intermediário a pedido de Terry, em uma conversa gravada com uma câmera escondida.

O capitão do Chelsea deixa claro na conversa que nem o clube nem o treinador, o italiano Carlo Ancelotti, sabem dessas visitas, porque as instalações de treinamento são um lugar de máxima privacidade para os jogadores.

Afirma também que as 8 mil libras dele (as outras 2 mil são para Bruce) serão destinadas a uma organização beneficente, mas insiste na necessidade de manter o trato em segredo, enquanto o intermediário pede o compromisso aos visitantes de que não falem sobre Terry se alguém perguntar algo.

“Se algo der errado, então terão que dizer que John não sabia de nada”, diz Bruce.

Imediatamente depois, o intermediário fala do pagamento e um dos supostos empresários entrega o dinheiro em uma pequena bolsa, enquanto Terry diz: “deem a Tony”.

A poucos metros de onde está ocorrendo a cena, afirma o jornal, está Ancelotti, sem saber o que está acontecendo.

O jornal enviou ao Chelsea e à federação de futebol inglesa gravações com as conversas, nas quais Terry também se mostra disposto a novas visitas no futuro, insistindo em que “é preciso as pessoas de que não podem contar isso a ninguém, porque, se alguém souber, não poderemos fazer mais”.

Sem mais artigos