Alguns dos principais jornais do Canadá deram hoje ‘nota 10’ ao país pela organização dos Jogos Olímpicos de Inverno em Vancouver, apesar da morte de um atleta – o georgiano Nodar Kumaritashvili, do luge.

Além disso, comemoraram o desempenho dos competidores locais, que levaram o país-sede do evento a terminar em primeiro lugar no quadro de medalhas.

“O ouro da equipe masculina de hóquei no gelo representou uma mudança de geração neste esporte, enquanto o rendimento do Canadá, surpreendente inclusive para os torcedores mais otimistas, mostrou uma nova cultura esportiva canadense” disse o “Globe and Mail” em editorial.

Para Rosie DiManno, articulista do “Toronto Star”, os Jogos foram “os melhores (da história) em organização, diversão e claro, em conquistas dos atletas canadenses”, ao conseguir 14 medalhas de ouro, número superior ao de qualquer outro anfitrião dos Jogos de Inverno.

DiManno aproveitou os bons resultados do Canadá para responder críticas de comentaristas de outros países, especialmente da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos, que disseram que o início dos Jogos foi um dos piores de todos os tempos, em função de erros na cerimônia de abertura e da morte de Kumaritashvili em um treino para a disputa do luge.

Já o “Montreal Gazette” lembrou que o governo do Canadá investiu mais de US$ 100 milhões (R$ 179,8 milhões) nos últimos anos para obter o maior número de medalhas da história do país nos Jogos de Inverno por meio de um programa chamado “Own the Podium”, voltado à preparação dos atletas.

Sem mais artigos