A aguardada exposição Andy Warhol, Mr. América, chega a São Paulo neste sábado, dia 20, na Estação Pinacoteca. Mas você sabe ao certo quem foi o mito? Para começar, Andy Warhol tinha talentos múltiplos: Artes plásticas, claro, mas também cinema, música, fotografia… Até de empresário ele atacou.

Sua maior contribuição foi antecipar o que seria comum nos dias de hoje: O culto às celebridades, a massificação dos símbolos de consumo e o escracho da vida pública – vide os reality shows A Fazenda e Big Brother e redes sociais como Twitter, Facebook e outros do gênero.

Se Warhol tivesse nascido na era da internet, sua famosa frase “no futuro, todos mundo terá 15 minutos de fama” hoje seriam mudada para 15 segundos. YouTube, Tweetcam e outras ferramentas seriam objetos de trabalho do artista.Não é por nada que o estilo artístico pelo qual Warhol é famoso se chama “pop art”.

 

Vários artistas da música foram influencidos pelo artista ou trabalharam com o próprio. Warhol virou nome de música dos Rolling Stones, desenhou a capa clássica do disco também clássico Velvet Underground & Nico, banda que ele mesmo empresariou, e hoje é referência em visuais e videoclipes de estrelas como Lady Gaga.

Abaixo vamos mostrar a influência de 10 desses artistas, como inspiração ou por trabalhar com o próprio Warhol:

LADY GAGA

A candidata a cargo de Madonna (mentira!) soltou o verbo em entrevista à Maxim: disse que seu som “raso” foi inspirado em Andy Warhol. O que queria dizer a “maluca do pop”? Segundo ela, Warhol comentou que a arte deve ser cheia de significado em suas formas mais rasas. “Ele fazia arte comercial que era levada a sério como arte. É isso que eu estou fazendo também”, entregou.

“Quando você ouve uma canção como ‘Love Game’, isso é uma comunicação da minha alma com a sua? Não… Eu faço pop eletrônico frio e sem alma. Mas quando você está em êxtase em uma boate e minha música vem, você vai sentir sua alma”, completou a cantora.

MADONNA

Em 2005, surgiu o boato de um filme sobre Candy Darling, um travesti que trabalhou em filmes experimentais da famosa Factory de Andy Warhol. Apesar do papel ser indicado à Drew Barrymore, Madonna não perdeu tempo e se candidatou ao papel. Verdade ou não, isso só prova a reverência que a rainha do pop faz ao expoente da pop art. A produção seria baseada na autobiografia de Holly Woodlawn, outro travesti que também trabalhou em filmes de Warhol e estrela no clipe de Deeper and Deeper, de Madonna.

Curiosamente, Andy Warhol nunca trabalhou em algum quadro de Madonna. Porém, no diário do artista, revelado após sua morte, foram encontradas diversas referências à promissora carreira da estrela pop. A própria tentou consertar a situação e fazer justiça: Encomendou a capa da coletânea Celebration ao artista plástico francês Mr. Brainwash. O resultado você já sabe: O rosto de Madonna num visual anos 80, graças à técnica de serigrafia eternizada pelo artista na capa.

DAVID BOWIE

Na década de 70, Bowie já era uma grande atração da música com seu glam rock, justamente no período da consagração de Andy Warhol. Em 71, o cantor colocou uma música com o nome do artista no disco Hunky Dory. Bowie e Warhol freqüentavam os mesmos locais e certa vez teriam conversado horas sobre… sapatos (!). Foi depois de ter rolado um climinha de insatisfação de Warhol com a letra da música.

VELVET UNDERGROUND

A banda de Lou Reed não só era influenciada por Warhol como foi criada pelo mesmo. No final dos anos 70, cansado de trabalhar apenas nas artes plásticas, resolveu empresariar o grupo novaiorquino. Mas impôs uma condição: que a modelo alemã Nico participasse do projeto. Aí nasceu o disco Velvet Underground & Nico (1967), cuja capa antológica – sim, aquela da banana em um fundo branco – foi criada por Warhol. A arte foi eternizada de uma maneira, que até hoje estampa camisetas, botons, almofadas e pôsteres em todo o mundo.

THE ROLLING STONES

Alguns anos depois de trabalhar com o Velvet Underground, Warhol investiu no trabalho com o colega Mick Jagger e seu Rolling Stones: Desenhou a capa do disco Sticky Fingers, LP de 1971. A imagem é do ator Joe Dallesandro (e não de Mick Jagger, como se imaginava) espremido numa calça jeans. A versão original incluia um ziper real. Em 2003, a rede de televisão VH1 nomeou Sticky Fingers como a melhor capa de disco de todos os tempos.

Outro disco da banda, Love You Live (1977) dos Rolling Stones, foi obra de Warhol: o antropofágico Mick Jagger morde uma mão alheia.

DEVO

Warhol influenciou fortemente o movimento new wave e, principalmente, os robóticos do Devo.  Em entrevista feita na época em que a banda veio tocar no festival Planeta Terra, em 2007, o vocalista Mark Mothersbaugh disse: “Continuamos no palco por causa de Andy Warhol. Ele é importante. Nós crescemos o amando”.

GRACE JONES


A modelo, cantora e atriz jamaicana, radicada nos Estados Unidos, também caiu nas graças do ícone da pop art. Durante sua fase disco music – o início da carreira – ela virou musa de Andy Warhol e foi fotografada várias vezes por ele. Jones também o acompanhou em várias ocasiões ao famoso clube Studio 54, em Nova York.

Sem mais artigos