São Jorge, o santo guerreiro, o herói que veio da Capadócia, o mito que matou o dragão, o habitante da Lua, é um dos ícones mais fortes da espiritualidade ocidental. Adorado nas igrejas Católica, Anglicana e também no Candomblé e na Umbanda, ele também é padroeiro da Inglaterra, Portugal, Geórgia, Catalunha, Lituânia e da cidade de Moscou.

Sua fama de guerreiro é proporcional a de sua fé. De origem nobre e integrante do exército romano, São Jorge se nega a recusar Jesus Cristo e matar todos os cristãos como uma ordem vinda  do impérador Diocleciano. É torturado diversas vezes por sua insistência, mas não desiste de sua fé no cristianismo nem a nega para os seus torturadores. Essa resistência fez com que a torcida corintiana, conhecida como Fiel, adotasse o santo como seu patrono.

Nas religiões do Candomblé e da Umbanda, São Jorge é indenticado com Ogum:

 

Uma exceção acontece na Bahia onde, nas religiões de origem africana, ele também é associado a Oxossi, o orixá da Lua. Mas é de crença nacional a mitologia que acredita que São Jorge habita o satélite natural da Terra e que as manchas da Lua são os sinais de sua presença.

No dia 23 de abril de 303, por ordem do imperador Diocleciano, São Jorge é degolado pro se recusar a negar Jesus Cristo. Nasce o santo e o mito. 

Sua devoção é enorme em todo o mundo ocidental, mas no Brasil, ele tem especial atenção, sendo fonte de inspiração para a nossa música e cultura. Salve Jorge!

Saiba que todos carregamos os nossos dragões. Conheça o de alguns famosos:

23 de abril é dia de São Jorge, um dos santos mais adorados do Ocidente

Sem mais artigos