A 26ª Casa de Criadores trouxe nesta quinta-feira (26) para o shopping Frei Caneca as atrações do Projeto Lab, que apresentou ao público novos estilistas como Karin Feller, Danilo Costa, Rachel Grandinetti, Jadson Raniere e Arnaldo Ventura.

 

Com uma hora de atraso (fato que se repetiu nos demais dias do evento), o primeiro desfile, de Karin Feller, mostrou aos presentes sua coleção alegre baseada em um estilo jovem e despretensioso. A estilista, vencedora do concurso Ponto Zero na última edição do evento, trouxe uma moda simples e que explorou cores vibrantes e alegres, como o rosa e o amarelo claro. Os acessórios com um tom “hiponga” e detalhes florais nas saias e nos chapéus deram à coleção um caráter romântico e sonhador.

O Lab prosseguiu com Danilo Costa, que trouxe uma coleção que contrastava a leveza dos tecidos – que se assemelhavam a looks esportivos pelo despojamento – com a agressividade das focinheiras colocadas nos modelos. O desfile começou com tons de cinza, seguindo com um toque de azul claro e evoluindo para o roxo e o preto.

 

Rachel Grandinetti, coordenadora de marketing da marca Ósmio, apresentou uma coleção inspirada na rainha Maria Antonieta. Os tecidos utilizados, como algodão, brocado, cetim, tule e microfibra, funcionaram bem na parte retrô do desfile, que combinou muito bem peças em xadrez preto e branco com tules mais diáfanos.

 

O desfile de Arnaldo Ventura se destacou pela clara intenção de trazer elementos novos a uma coleção aparentemente simples, inspirada no clássico Os Pássaros, do cineasta Alfred Hitchcock. Os retalhos, lindos, traziam desenhos minuciosos e que encantaram a plateia, além dos bons cortes e caimentos delicados. Destaque para as leggings em lurex e o trabalho criativo utilizado nas estampas.

 

Depois de brincar com a imagem dos piratas, o estilista Jadson Ranieri se inspirou nos bandidos do Velho Oeste para criar sua nova coleção, tendo sempre o cuidado de não cair no clichê na hora de retratar o universo dos caubóis. Talvez por isso o estilista tenha se distanciado de maneira radical da proposta inicial para criar peças que traziam couro, bordados e pantalonas arrojadas.

 

Após o encerramento do Lab, a passarela recebeu a coleção de Ianire Soraluze, que teve a ideia de seu desfile após pensar na imagem de uma flor vermelha contrastando com a imagem pálida do gelo. Exatamente por isso a primeira parte do desfile foi tomada por tons de branco e creme, que trouxeram looks de cintura marcada, transparências, babados e chapéus de feltro. A segunda parte acaba funcionando melhor por quebrar um pouco a monotonia do excesso de peças claras.

 

A marca Der Metropol, do estilista Mário Francisco, trouxe um desfile grandiloquente, inspirado na série Hellraiser. A ideia do estilista era criar uma coleção de terror, que lidasse com a dualidade entre a dor e o prazer por meio de um ideário sadomasoquista. Os looks traziam recortes incisivos e violentos, que acabaram deixando o desfile muito pesado – e, ainda assim, longe da idéia proposta inicialmente pelo estilista.

 

Marcelu Ferraz foi inspirado pela obra Em Nome da Rosa, livro de Umberto Eco mais tarde adaptado para o cinema. Embora a coleção tenha lidado com looks extramente bem feitos e minuciosos, a impressão foi a de que as peças eram mais figurinos do que exatamente criações independentes.

 

O desfile de Tony Jr. começou com uma performance rápida de uma modelo vestida metade homem metade mulher, em um tom burlesco, a la Dita von Teese. A coleção trouxe peças performáticas e fetichistas para a passarela, em uma apresentação concisa.

 

Por fim, o veterano Rober Dognani veio com tudo mostrando sua coleção baseada no universo dos filmes de ficção científica dos anos 1940. Sem medo de chocar, o esilista aproveitou a passarela para explorar o lado conceitual de sua moda futurista, que conseguiu ser capaz de olhar para o passado sem cair na armadilha do retrô. As peças laminadas e a predominância do cinza deram o tom do desfile.

 

A 26ª Casa de Criadores termina hoje com os desfiles do projeto Ponto Zero, que traz para a passarela coleções de estudantes de moda. Após o desfile, o evento encerra no Clube Glória, que recebe a partir da meia-noite a performance de Amanda Lepore.

Sem mais artigos