A 7ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) começa nesta quarta (1º) e terá convidados ilustres como o cantor Chico Buarque, o jornalista Gay Talese e o escritor Milton Hatoum. Nesta edição, o evento homenageia o poeta pernambucano Manuel Bandeira.

Vinicius de Moraes, João Guimarães Rosa, Clarice Lispector, Jorge Amado, Nelson Rodrigues e Machado de Assis foram os homenageados nas edições anteriores. Para abrir o evento, o pesquisador Davi Arrigucci Jr. comanda uma mesa sobre Bandeira.

A Flip, que vai até domingo (5), atrai anualmente um variado grupo de escritores, críticos e artistas de vários países e, neste ano, o evento prevê 19 mesas em que 34 autores vão debater temas variados. Neste ano, o encontro, que transformou Paraty em um agitado pólo cultural, investiu mais de R$ 5,9 milhões, captados por meio de leis de renúncia fiscal.

Chico Buarque chega à cidade após lançar Leite Derramado. Acompanhado de Milton Hatoum, na sexta (03), o compositor debate sobre o Brasil na mesa Seqüências Brasileiras – uma das mais disputadas do evento.

No sábado (04) outra mesa bastante concorrida é a de Gay Talese, considerado um dos principais representantes do Novo Jornalismo ou Jornalismo Literário, e do brasileiro Sergio Conti. Nela, os intelectuais debatem sobre o futuro da profissão. Também no sábado, a artista plástica Sophie Calle também marca presença no evento e fala sobre o amor e a dor do rompimento na mesa Entre Quatro Paredes.

A primeira mesa do evento, Novos Traços, dedicada às histórias em quadrinho, também é um dos destaques do evento. Na quinta (02), os ilustradores Rafael Coutinho, Fábio Moon, Gabriel Bá e Rafael Grampá discutem o gênero que está em ascensão.

Quarta, 01
19h: Conferência de abertura com Davi Arrigucci Jr.

Quinta, 02
10h: Novos traços (Rafael Coutinho, Fábio Moon, Gabriel Bá e Rafael Grampá)
11h45: Separações (Rodrigo Lacerda e Domingos de Oliveira)
15h: Verdades inventadas (Tatiana Salem Levy, Arnaldo Bloch e Sérgio Rodrigues)
17h: China no divã (Ma Jian e Xinran)
19h: Deus, um delírio (Richard Dawkins e Silio Boccanera)

Sexta, 03
10h: Evocação de um poeta (Heitor Ferraz, Eucanaã Ferraz e Angélica Freitas)
11h45: O avesso do realismo (Atq Rahimi e Bernardo Carvalho)
15h: Sentidos da transgressão (Edna O´Brien e Liz Calder)
17h: O eu profundo e outros eus (Mario Bellatin e Cristovão Tezza)
19h: Sequências brasileiras (Chico Buarque e Milton Hatoum)

Sábado, 04
10h: O dissonante século XX (Alex Ross e Arthur Dapieve)
11h45: Entre quatro paredes (Sophie Calle e Grégoire Bouiliier)
15h: Segredos de família (Anne Enright e James Salter)
17h: Fama e anonimato (Gay Talese e Mario Sergio Conti)
19h: Escrever é preciso (António Lobo Antunes e Humberto Werneck)

Domingo, 05
11h30: O futuro da América (Simon Schama e Lilia Moritz Schwarz)
14h30: As sem-razões do amor (Catherine Millet e Maria Rita Kehl)
16h15: Antologia pessoal (Edson Nery da Fonseca e Zuenir Ventura)
18h: Livro de cabeceira

7ª Flip começa nesta quarta e traz Chico Buarque e Gay Talese

Sem mais artigos