O <b>2º Festival Paulínia de Cinema</b> divulgou nesta quinta (25) a seleção oficial do evento, que começa no dia 9 e vai até 16 de julho. Para abrir a mostra, foi escolhido o longa <i>À Deriva</i>, de Heitor Dhalia, que fez parte da seleção do Festival de Cannes em maio.

Assim como o filme de Dhalia, o longa de encerramento do festival <i>Tempos de Paz</i>, de Daniel Filho, também será exibido fora da competição. No total, serão projetados 26 filmes, sendo 12 longas (seis de ficção e seis documentários) e 12 curtas-metragens (seis deles do Pólo de Cinema de Paulínia).

Outro destaque da mostra é <i>Mamonas, o Doc</i>, de Claudio Kahns. Com 84 minutos de duração, o longa conta com material inédito e mostra a trajetória do grupo que atingiu as paradas de sucesso na década de 90.

Confira os filmes que serão exibidos na mostra:

Longas de Ficção

O Contador de Histórias, de Luiz Villaça (SP)
– <i>Destino</i>, de Moacyr Góes (RJ)
– <i>Enquanto Dura o Amor</i>, de Roberto Moreira (SP)
– <i>No Meu Lugar</i>, de Eduardo Valente (RJ)
– <i>Olhos Azuis</i>, de José Joffily (RJ)
– <i>Antes que o Mundo Acabe</i>, de Ana Luiza Azevedo (RS)

Documentários

– <i>Caro Francis</i>, de Nelson Hoineff (RJ)
– <i>Mamonas o Doc.</i>, de Claudio Khans (SP)
– <i>Sentido à Flor da Pele</i>, de Evaldo Mocarzel (SP)
– <i>Moscou</i>, de Eduardo Coutinho (RJ)
– <i>Só Dez Por Cento é Mentira</i>, de Pedro César (RJ)
– <i>Herbert de Perto</i>, de Roberto Berliner e Pedro Bronz (RJ)

Curtas brasileiros

– <i>Vida Vertiginosa</i>, de Luiz Carlos Lacerda (RJ)
– <i>Relicário</i>, de Rafael Gomes (SP)
– <i>Doce Amargo</i>, de Rafael Primot (SP)
– <i>Milímetros</i>, de Erico Rassi (SP)
– <i>Nessa Data Querida</i>, de Julia Rezende (RJ)
– <i>Timing</i>, de Amir Admoni (SP)

Curtas Regionais

– <i>Morte Corporation</i>, de Léo de Castillo
– <i>Prós e Contras</i>, de Pedro Struchi
– <i>Quem Será Katlyn?</i>, de Caue Nunes
– <i>Spectaculum</i>, de Julliano Lucas
– <i>A Máquina do Tempo</i>, de Marcos Craveiro
– <i>Capoeira</i>, de Matheus Oliveira

Mostra Paralela

– <i>A Mulher Invisível</i>, de Claudio Torres
– <i>Divã</i>, de José Alvarenga Jr.
– <i>O Menino da Porteira</i>, de Jeremias Moreira
– <i>Linha de Passe</i>, de Walter Salles e Daniela Thomas
– <i>Ensaio Sobre a Cegueira</i>, de Fernando Meirelles
– <i>Se eu Fosse Você 2</i>, de Daniel Filho

"À Deriva", de Heitor Dhalia, abre Festival de Paulínia dia 9 de julho

Sem mais artigos
Sair da versão mobile