A polícia afirma que a técnica em enfermagem acusada de sedar 11 recém-nascidos no Hospital Universitário da Universidade Luterana do Brasil, a Ulbra, no estado do Rio Grande do Sul, admitiu ser culpada pelos crimes.

Vanessa Pedroso, 25 anos, foi presa em flagrante por tentativas de homicídio e encaminhada para a Penitenciária Feminina Madre Pelletier. No momento, as crianças que receberam os sedativos estão internadas na Unidade de Tratamento Intensivo do hospital.

O delegado responsável pela investigação, Guilherme Pacífico, afirmou em coletiva na manhã deste sábado que quando Vanessa foi presa, uma seringa com uma dose do sedativo benzodiazepínico foi encontrada dentro da pochete que ela utilizava no trabalho.

Pacífico ainda disse que Vanessa admitiu na delegacia, após ver a seringa encontrada pela polícia, que sedava os bebês. No entanto, após receber orientações de seu advogado, a técnica negou em depoimento oficial que tivesse aplicado sedativo nas crianças.

Segundo o delegado, Vanessa sofre de graves perturbações que teriam motivado os crimes que cometeu. Na coletiva, Pacífico ainda afirmou que Vanessa sofre de frustração por ter sido rejeitada pela autoridade médica. Após não conseguir ingressar na faculdade de medicina, Vanessa passou a não aceitar ordens dos médicos.

Portanto, passou a ministrar os medicamentos para que os bebês tivessem problemas e ela pudesse detectar e mostrar aos médicos que era capaz. Com as doses de sedativos, as crianças entravam em parada respiratória e Vanessa era a primeira a fazer os procedimentos de reanimação.

A polícia diz que nenhum evento parecido aconteceu nos dias em que Vanessa não estava de plantão no hospital, fato que contribuiu para aumentar as suspeitas sobre ela. O advogado de Vanessa, Sérgio Assunção, disse que pedirá liberdade provisória.

Sem mais artigos