Brian Oxman, amigo pessoal de Michael Jackson e advogado da
família do cantor, insinuou que o rei do pop pode ter abusado de
remédios prescritos.

Em declarações à CNN, Oxman explicou que Michael,
enquanto se preparava para o show que tinha previsto fazer no
próximo dia 13 em Londres, tomava remédios para tratar de lesões
em uma vértebra e em uma perna depois de uma queda no palco.

O advogado e amigo pessoal do cantor disse que alertou as pessoas
próximas ao cantor para as possíveis consequências da medicação,
que inclusive representou um obstáculo para os ensaios.

Oxman insinuou ainda que o rei do pop esteve cercado ultimamente
de pessoas que tiveram uma influência negativa sobre ele, ao
assegurar que a família de Jackson tentou desesperadamente
“cuidar” do cantor e que o músico estava perfeitamente
bem havia pouco tempo.

“Acho que (seu empresário) Frank DiLeo esteve com ele quando
teve o ataque cardíaco, segundo me disseram”, completou.

“Sua família esteve tentando durante meses cuidar de Michael
Jackson”, declarou.

“Se alguém acredita que o caso de Anna Nicole Smith
(ex-modelo que morreu em 2007 por uma overdose de medicamentos)
foi um abuso (de remédios), isso não é nada comparado com o que
ocorreu na vida de Michael Jackson”, assegurou Oxman.

O advogado da família indicou, no entanto, que não tinha
conhecimento dos remédios que o cantor tomava, mas que as
informações que a família tinha sugeriam que eram “abundantes”.

“Não conheço a causa de tudo isso, mas isso é algo que eu
temia. Isso é um caso de abuso de medicamentos, a não ser que a
causa seja outra”, concluiu Oxman.

Sem mais artigos