O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Mário Sérgio Duarte, pediu nesta quinta-feira (22) desculpas à família do coordenador do grupo Afroreggae, Evandro João da Silva, de 42 anos, que foi morto neste final de semana no Rio de Janeiro. “É imperativo pedir desculpas à sociedade. A PM errou e nestes casos temos que cortar na própria carne”, afirmou Duarte.

Gravações feitas por câmeras de segurança comprovam que o capitão Denis Leonard Nogueira Bizarro e o cabo Marcos de Oliveira Sales deixaram os bandidos fugirem, omitindo ainda o socorro a Evandro. Os dois oficiais devem permanecer no 13º BPM (Tiradentes), onde trabalham, por até 72 horas, e serão ainda afastados do trabalho.

Segundo José Luiz Duarte, delegado da 1ª DP do RJ, o capitão Denis Leonard nega que tenha omitido socorro e diz que não viu Evandro João da Silva baleado. O delegado ainda afirmou que vai ouvir o capitão novamente e confrontar sua versão com a das imagens capturadas pela câmeras.

Em entrevista coletiva, o coronel Duarte ainda afirmou que “a Polícia Militar está solidária com a família, já que havia uma pessoa agonizando. Não vamos permitir qualquer desvio de conduta. Nosso sentimento é de total indignação e solidariedade com a família. É ruim saber que policiais erram. Eles são preparados para agir em situações mais difíceis e agir nas ruas reprimindo delitos. É o que se espera deles”.

Sem mais artigos