Milhões de pessoas podem ficar sem receber ajuda este ano devido ao déficit de mais de R$ 5,5 bilhões no orçamento do Programa Mundial de Alimentos (PMA) da Organização das Nações Unidas (ONU). O alerta foi feito ontem (30), pela diretora-executiva da agência, Josette Sheeran.

A meta, segundo o PMA, é poder ajudar cerca de 108 milhões de pessoas em 74 países mas, para isso, a agência precisa de pouco mais de R$ 6 bilhões para poder financiar suas operações. Por meio de comunicado, a agência informou que terá que cortar rações alimentares e programas em várias regiões, incluindo os que beneficiam os mais carentes.

Em Bangladesh, por exemplo, o órgão pretende atender cinco milhões de pessoas, mas só tem recursos para 1,4 milhão. Assim, Josette espera ver cumprida a promessa de US$ 20 bilhões (quase R$ 38 bilhões) feita por líderes do G8, os países mais ricos do mundo. Segundo a ONU, em todo o planeta cerca de um bilhão de pessoas estão passando fome.

Sem mais artigos