O ex-vice-presidente americano Al Gore defendeu hoje em São Paulo a autonomia brasileira para estabelecer mecanismos de preservação da Amazônia e elogiou a produção de etanol no país, usando cana-de-açúcar como matéria-prima.

Durante sua participação em um seminário na Federação de Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Gore manifestou que a decisão sobre a conservação da Amazônia “é do Brasil”.

O Prêmio Nobel da Paz em 2007 comentou que há 20 anos visitou a Amazônia e compartilhou a visão dos nativos em defender a biodiversidade diante da exploração dos recursos da região.

Reconheceu que seu país emite mais gases que provocam o efeito estufa, mas lembrou que o desmatamento em nações como o Brasil e Indonésia também contribuem para as mudanças climáticas provocadas pelo homem.

O líder ambientalista pediu também a conservação do solo e que se evite sua exploração indiscriminada mediante incentivos de preservação para as comunidades que habitam regiões como a Amazônia.

Gore, que recebeu a Ordem do Mérito Industrial da Fiesp, felicitou os brasileiros pela escolha do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

Al Gore defende autonomia brasileira na preservação da Amazônia

Sem mais artigos