A Al Qaeda, num vídeo colocado na Internet, voltou a dizer que pode cometer atentados na Alemanha, informou hoje o Escritório Federal de Investigação Criminal (BKA), que não quis dar detalhes do teor da gravação.

O vídeo é o segundo que a Al Qaeda publica em três dias com ameaças à Alemanha. Na sexta-feira, a organização disse numa gravação que cometeria atentados no país se o partido que ganhar as eleições do próximo domingo não defender a retirada das tropas alemãs do Afeganistão.

Segundo alguns meios de comunicação, quem faz as ameaças no novo vídeo é a mesma pessoa do anterior: Bekkat Harrach, islâmico de origem marroquina procurado na Alemanha por fazer parte da Al Qaeda.

Nos 40 minutos da gravação mais recente, Harrach, conhecido como “Abu Talha”, voltou a fazer referência à presença alemã no Afeganistão, destacou a imprensa.

Já no vídeo de sexta-feira, exibido pela estatal “ARD”, a Al Qaeda diz que a Alemanha terá um “amargo despertar” após as eleições se o novo Governo não acabar com a missão alemã no Afeganistão.

“Se o povo decidir dar continuidade a uma guerra, terá ditado sua própria sentença. As eleições gerais são a única oportunidade de o povo dar forma à política do país”, diz a mensagem.

O suposto terrorista declarou ainda que, “com a saída do último soldado alemão” do Afeganistão, também deixará a Alemanha “o último mujahedin”.

O Ministério de Interior alemão destacou que os novos vídeos da Al Qaeda confirmam as estimativas do Governo da chanceler Angela Merkel de que o país encontra-se na mira dos terroristas.
Alemanha é alvo de terroristas, diz governo de Angela Merkel
No entanto, uma porta-voz afirmou que o ministério já tinha preparado medidas de segurança extraordinárias para o dia do pleito antes mesmo da divulgação dos vídeos.

Sem mais artigos