Alunos, professores e funcionários da Universidade de São Paulo (USP) deverão fazer uma passeata na terça-feira (16) do campus Butantã até o Museu de Artes de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista, em protesto contra a reitora Suely Vilela e pedindo a saída da Polícia Militar do câmpus.

Segundo o Diretório Central dos Estudantes (DCE), os manifestantes vão se reunir a partir do meio-dia em frente ao prédio da reitoria, na Cidade Universitária, e de lá sair em passeata no início da tarde.

Na terça-feira passada (8), uma manifestação convocada pelo diretório e por sindicatos no portão principal da USP terminou em conflito com a polícia. Um estudante e cinco policiais ficaram feridos e três integrantes do sindicato dos funcionários foram detidos, mas liberados em seguida.

Problemática

O conflito deste ano começou com uma greve por reajuste salarial do sindicato dos funcionários no dia 5 de maio. Ignorada pela reitora Suely Vilela, funcionários e alunos chegaram a ocupar a reitoria por cerca de quatro horas, além de bloquear prédios e edifícios do câmpus.

A reitoria pediu reintegração de posse à Justiça, concedida na semana seguinte. A polícia apareceu e liberou as entradas, porém quando foi embora, os funcionários retornaram, o que provocou a volta e permanência da polícia na reitoria. Com isso, alunos e a Associação de Docentes decidiram aderir à greve.

Alunos da USP farão passeata para pedir saída de reitora

Sem mais artigos