Ao contrário do que muitos pensam, não é só de filmes cabeções ou das próximas grandes estreias do circuito tradicional que é formada a grade da 33ª Mostra Internacional de Cinema em SP. Também é possível encontrar sacanagem, do tipo “múltipla”.

O documentário American Swing, dirigido por Jon Hart (presente no evento) e Matthew Kaufman, conta a história do criador e frequentadores da Plato’s Retreat, famosa casa de swing que agitava Nova York nos anos 70.

E se o tema parece polêmico, ao tratar da extrema liberdade sexual entre héteros, casais, não casais, conhecidos, desconhecidos e quem mais quisesse participar das orgias, o mais interessante do filme é quem fala. Porque se a casa era fomosa há mais de 30 anos, seus frequentadores e entusiastas são pessoas que, atualmente, parecem – e são -, pais e avós.

Esse é ponto alto de American Swing. Além da fascinante história do nascisista Larry Levenson, fundador do local que ficou conhecido como “Rei do Swing”, são os relatos que atraem no filme. São descrições de como tudo aquilo era normal, libertador e livre de preconceitos: “uma espécie de Woodstock entre quatro paredes”, como alguém exemplificou.

O humor, claro, está presente em diversos momentos, principalmente através do casal de contadores que esteve presente desde o inicio, até a decadência do local.

Nenhum dos entrevistados é identificado por créditos, mas durantes os relatos é possível “pescar” que as profissões são as mais variadas: jornalistas, fotógrafos, atores (inclusive pornôs), modelos, assistentes sociais e por aí vai. Nomes famosos também são citados como frequentadores do Plato´s, como o ator Richard Dreyfuss ou o cantor Sammy Davis Jr.

Inclusive a trilha sonora é muito pontual e bem escolhida: clássicos da discoteca setentista e canções que representam bem o “american dream” nos momentos de irônia tornam a narrativa documental mais interessante.  Além, é  claro, da imensa quantidade de registros audiovisuais e fotográficos, tanto da casa e dos frequentadores, quanto das aparições de
Levenson causando polêmica da TV dos EUA.

American Swing é um filme divertido que também fala de amor e que vale a pena ser visto, sem grandes expectativas, mas com o espírito aberto para o prazer de uma boa sessão de cinema.

O documentário será exibido hoje, às 23h40 no Cinema da Vila. Essa será sua última sessão na Mostra. Mais informações no site oficial do evento http://www.mostra.org/

Sem mais artigos