As amostras grátis de medicamentos distribuídas pelos laboratórios farmacêuticos deverão seguir os mesmos padrões de fabricação e de embalagens dos produtos originais. De acordo com a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), a determinação publicada nesta sexta-feira (27) no Diário Oficial da União busca harmonizar os procedimentos de proteção à saúde da população.

Pela resolução, médicos, dentistas e veterinários passam a ser responsáveis pela conservação e validade do estoque de amostras mantido no consultório. Além disso, as informações contidas nas amostras devem ser as mesmas dos medicamentos encontrados em farmácias e drogarias, tanto nas bulas quanto nas embalagens. As amostras também deverão trazer a expressão “Venda Proibida”.

No caso dos antibióticos, os profissionais deverão entregar ao paciente a quantidade suficiente para o tratamento. O objetivo da medida é evitar que um tratamento incompleto provoque resistência aos microorganismos causadores da infecção e agravem a doença.

De acordo com a Anvisa, as normas de hoje vêm especificar algumas regras baixadas no final do ano passado sobre a venda de medicamentos em geral.

Sem mais artigos