O Ministério de Minas e Energia confirmou que o apagão ocorrido no final da noite de terça-feira (10) atingiu, no total, 18 Estados do país, ainda que a lista não tenha sido divulgada. Desde a madrugada desta quarta (11), técnicos do Operador Nacional do Sistema Elétrico fazem uma varredura no sistema, para verificar a existência de possíveis falhas.

Márcio Zimmerman, secretário executivo do ministro de Minas e Energia, informou no início da manhã desta quarta-feira que a causa do blecaute nacional que afetou 12 Estados do país, incluindo São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, foi a queda de três linhas de transmissão entre o Paraná e São Paulo. Duas linhas ligam a cidade de Ivaiporã (PR) a Itaberá (SP) e a outra fica entre Itaberá (SP) a Tijuco Preto (SP), e Zimmerman informou que as causas foram “condições meteorológicas diversas”.

Zimmerman explicou que as três linhas não caíram, tendo sido desligadas em razão de condições meteorológicas adversas (frente fria, chuvas e ventos fortes) na região de Itaberá, descartando qualquer possibilidade de sabotagem, ainda que a queda tripla de linhas de transmissão seja inédita no Brasil. Para ele, não é possível comparar o ocorrido com 2001, pois naquele ano “era falha de energia. Naquela época não tinha investimento em transmissão e geração de energia, não tinha geração suficiente para atender”.

Ele destacou que, nesta manhã, “se faz uma análise bastante aprofundada da área com o Operador Nacional do Sistema (e) há todo um esforço do setor para analisar as causas e tomar as medidas necessárias para minimizar esse tipo de situação”. Inicialmente, a maior possibilidade é de que a queda tenha ocorrido após o acionamento de mecanismos de defesa, já que “o sistema de transmissão cria uma situação que pode fazer o circuito desarmar uma linha e não causar nada. Nesse caso, tivemos três simultaneamente”.

A assessoria do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, informou que, através de um telefonema que ocorreu no começo da manhã e não durou mais do que alguns minutos, Lobão relatou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a situação do país após o apagão, garantindo que os problemas já haviam se encerrado e que a origem do problema será apresentada em reunião marcada para o final da tarde, no Centro Nacional de Operação do Sistema Elétrico.

Também na manhã desta quarta, Furnas informou que as linhas de transmissão que interligam a usina de Itaipu ao Sistema Interligado Nacional estão funcionando normalmente, não tendo sido afetadas pelo apagão. As linhas onde teria sido provocado o apagão, de acordo com a página de Itaipu no serviço de microblogs Twitter, é de responsabilidade de Furnas.

A informação sobre a causa do apagão, que durou ao menos quatro horas, já havia sido confirmada pelo presidente da usina de Itaipu, Jorge Samek, que falou à Jovem Pan que não houve nenhum problema de geração e que as 20 máquinas de Itaipu estão em condições totais de produção de energia.

São mais de mil quilômetros de linhas de transmissão, que levam a energia produzida em Itaipu para Itaiporã, no Paraná, e para o Estado de São Paulo, de onde é feita a rede de distribuição da energia de Brasília para baixo. Todos os estados do Sudeste e Sul do país recebem energia de Itaipu, que abastece 20% da necessidade energética do Brasil.

“O que ocorreu foi um problema de avaria. Possivelmente um raio, um tufão, um grande vento. Ocorreu um problema que derrubou algumas torres. Por segurança, o sistema se desliga. Se continuasse produzindo a energia em igual intensidade e com algumas linhas danificadas, o transformador não suportaria”, disse Jorge Samek, ressaltando que a energia está sendo restabelecida devagar em todo os Estados atingidos.

“O Brasil tem uma condição hidrológica muito favorável, as térmicas estão todas desligadas, há uma folga boa no sistema. Mas, infelizmente, há problemas climáticos que não se podem prever. Eles acontecem com frequência, mas ter ocorrido nessa dimensão é a novidade no processo”, lamentou. O presidente da usina de Itaipu fez questão de dizer que o sistema brasileiro está preparado para isso, mas ocorreu um problema de intensidade forte, que não conseguiu evitar esse apagão.

Apagão atingiu 18 Estados do Brasil

Sem mais artigos