O valor exorbitante oferecido ao brasileiro Kaká pelo Manchester City, em um momento conturbado da economia mundial, abriu brecha para uma discussão, mesmo que a negociação não tenha sido consolidada. Qual esporte é mais valorizado? Ao contrário do que muitos pensam, o futebol não é o “campeão” de remunerações. E com o “não” de Kaká aos ingleses, o esporte mais popular do mundo perdeu a oportunidade de “ultrapassar” a NBA, que tem uma das folhas de pagamento mais elevadas. Já o brasileiro, que é o mais bem pago da modalidade, deixou de dobrar seu “modesto” salário de US$ 11,89 milhões para US$ 25 milhões.


 


Apesar de todos esses fatores, a Fórmula 1 segue bem na frente dos rivais no quesito financeiro. Presente em todos os noticiários de economia por causa da crise, a categoria é campeã da remuneração esportiva com o espanhol Fernando Alonso, bicampeão mundial, que recebe nada menos que US$ 47,6 milhões por temporada na Renault – valor, aliás,recorde na história da categoria.


 


Apesar da “derrota” salarial, a liga de futebol americano, a NFL, não fica atrás no quesito renda de seus atletas. Ben Roethlisberger, do Pittsburgh Steelers, ganha algo como US$ 27,1 milhões por ano. No entanto, a modalidade tem como principal trunfo o maior evento esportivo do mundo, o Super Bowl, cujo espetáculo será domingo, dia 1º de fevereiro.


 


Em torno do evento, o montante de dinheiro movimentado é impressionante. Em 2008, em Phoenix, o Super Bowl gerou uma renda de cerca de US$ 500 milhões. Boa parte desse lucro vem de anúncios publicitários, que mesmo com a crise, continuam valendo muitos dígitos: 30 segundos de propaganda no intervalo dos jogos custam em torno de US$ 3 milhões.


 


Muito badalada e que quase ficou para trás do futebol aparece a NBA. A famosa liga americana de basquete tem como seu principal atleta Kevin Garnett, do Boston Celtics, que recebe valor próximo de US$ 24,75 a cada temporada pelo último campeão do torneio.


 


Em outros esportes, considerados elitistas, glamourosos e altamente rentáveis, como tênis, golfe, hipismo, porém, nem sempre os atletas têm salários, mas ganham um bom dinheiro com patrocinador quando figuram no topo dos respectivos rankings. Além disso, podem faturar uma boa cifra com premiações milionárias, no entanto, suas contas bancárias ainda assim ficam bem atrás.


 


Roger Federer, profissional desde 1998, ganhou com prêmios um total de US$ 44,644 milhões, ou seja, o equivalente 4,4 milhões por temporada. Considerado o tenista mais rico do mundo, o suíço tem a concorrência de Rafael Nadal se comparados ano a ano. O espanhol tem, por temporada, a quantia de 3,35 milhões. Na soma total, porém, só acumulou US$ 20,1 milhões até agora.


 


Atualmente, uma modalidade até mais lucrativa que o tênis é o golfe. Tanto que Tiger Woods, sua maior estrela, é considerado o esportista mais rico do mundo, mesmo não contando com um salário fixo por também não ter um “time” ou “franquia”. O golfista é tido como possivelmente o líder na corrida para ser o primeiro bilionário do esporte. Em 11 anos de carreira já arrecadou US$ 750 milhões. No entanto, esse valor é somado também com receitas de patrocínio. Só em 2007, entre prêmios e contratos publicitários, o americano faturou US$ 115 milhões.


Sem mais artigos