A Bolsa de Valores de São Paulo encerrou em alta o segundo pregão da semana, após muita oscilação e, durante grande parte do dia, operação no vermelho em razão da turbulência no exterior. Não por coincidência, a valorização está diretamente relacionada com uma mudança no rumo apresentado pelos mercados norte-americanos.


 


Ao final da terça-feira (10), o Ibovespa registrava avanço de 0,13%, para 66.303 pontos, com bom giro financeiro de R$ 6,6 bilhões.


Contribuiu para a alta o bom desempenho da Petrobras, que subiu 0,88%, enquanto Vale fechou com queda de 0,81%, BM&F Bovespa caiu 2,04%, Usiminas ganhou 0,95% e Gerdau teve avanço de 0,89%.


 


Nos Estados Unidos, em mais um dia marcado pela ausência de indicadores relevantes, os indicadores abriram o dia no negativo e permaneceram operando com perdas até o meio da tarde, quando inverteram tendência. Assim, Dow Jones ganhou 0,22%, Nasdaq registrou leve baixa de 0,07% e S&P 500 teve valorização de 0,02%.


 


Na Europa, o FTSEurofirst 300, principal indicador do continente, registrou leve retração de 0,2%, para 1.010 pontos, enquanto Londres perdeu 0,08%, Frankfurt recuou 0,11% e Paris encerrou o dia na estabilidade. O dólar comercial, que ontem valia R$ 1,701, teve valorização de 0,94%, para R4 1,717, enquanto o euro subiu 0,23%, valendo R$ 2,557.


 


Mercado seguiu desempenho dos principais indicadores internacionais; dólar comercial subiu 0,94%

Sem mais artigos