Uma equipe de arqueólogos egípcios descobriu dois túmulos construídos há 2.500 anos, os mais antigos encontrados até o momento no sítio arqueológico de Saqara, a 25 quilômetros ao sul do Cairo.

Os mausoléus estão enterrados e têm gravuras em vários de seus muros, segundo detalha uma nota do Conselho Supremo de Antiguidades (CSA), divulgada nesta segunda-feira.

Uma das duas construções é a de maior dimensão encontrada na região e inclui inúmeros corredores, quartos e salas, explicou Zahi Hawas, secretário-geral do CSA. Este túmulo é precedido por duas grandes fachadas, parte em deterioração e outra de tijolo, conforme o comunicado.

Dois dos quartos, que estão lotados de material de construção e de terra, conduzem a uma sala onde foram localizadas diversas ossadas e vasilhas de cerâmica. Em outra sala pequena foi descoberto um poço com uma profundidade de sete metros.

Na parte norte do túmulo também foram encontradas várias múmias de falcões que estão em um bom estado de conservação.

Conforme Hawas, o túmulo foi utilizado em mais de uma ocasião e provavelmente depredado no século V depois de Cristo.

Na segunda sepultura, de menores dimensões, embora também composta por várias salas, foram encontradas inúmeras vasilhas de cerâmica.

O especialista em arqueologia revelou sua satisfação com as descobertas, uma prova que a região de Saqara, onde fica a pirâmide escalonada de Zoser, ainda guarda muitos segredos.

Sem mais artigos