Desde o ano de 1995, o ator Guilherme Fontes vem passando por problemas com a justiça, tudo por causa da produção de Chatô, o Rei do Brasil, que teve captação de recursos mas não foi concluído até hoje. O problema foi que Guilherme emitiu notas fiscais de Guararema, em São Paulo, e não no Rio de Janeiro, onde funcionava a empresa, deixando de recolher ISS para a cidade.

Condenado a três anos, um mês e seis dias de reclusão por sonegação fiscal, o ator precisará apenas cumprir trabalho comunitário de sete horas semanais pelo mesmo tempo da pena e pagar 12 cestas básicas de R$ 1 mil para instituições sociais no Rio. A decisão foi da juíza da 19ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, Denise Vaccari Machado Paes.

A condenação aconteceu no dia 8 de março, mas só foi publicada em 8 de abril e teve recurso do ator no último dia 19, mas ainda não há data prevista para novo julgamento.

Ator Guilherme Fontes é condenado por sonegação fiscal

Sem mais artigos