O Banco do Nordeste do Brasil (BNB) cobra na Justiça uma dívida de R$ 12 milhões por empréstimos tomados pela TV Mirante, empresa da família Sarney que é gerenciada pelos filhos do presidente do Senado, José sarney (PMDB-AP). As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Metade da cobrança, que em valores atualizados atinge cerca de R$ 14 milhões, refere-se a dinheiro público do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), vinculado ao Ministério do Trabalho.

A Mirante nega as dívidas, diz que já pagou R$ 3,1 milhões e não se considera mais devedora. A empresa obteve duas vitórias na Justiça do Maranhão. Em maio, o BNB recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Contrato

Pelo documento de um dos contratos de empréstimo (no valor de R$ 3 milhões), a família Sarney se comprometeu a utilizar a verba do FAT em obras (R$ 488 mil), aquisição de equipamentos, como câmeras de vídeo e ilhas de edição (R$ 885 mil), móveis e utensílios (R$ 543 mil), entre outras despesas. Também prometeu desembolsar “no mínimo R$ 1,31 milhão” em dinheiro próprio.

Meses após o empréstimo, a TV deixou de pagar as parcelas. Entre 2001 e 2005, a dívida subiu para R$ 6,4 milhões. E a TV entrou na Justiça para pedir a anulação do documento. O imbróglio segue até hoje.

O contrato foi assinada, por procuração, pela atual governadora do Estado, Roseana (PMDB), pelo deputado federal Sarney Filho (PV) e pelo outro filho do senador, Fernando, indiciado pela PF sob acusação de formação de quadrilha.

A mulher de Fernando, Tereza Murad, é quem tinha a procuração para assinar o papel. Os quatro são sócios da empresa. A TV Mirante é afiliada da Rede Globo.

Banco público cobra R$ 12 milhões da TV Mirante, empresa da família Sarney

Sem mais artigos