Depois de 130 dias de viagem, um barco feito apenas de material reutilizado chegou a seu destino – Sidney, Austrália – na última segunda (26). O catamarã Plastiki foi construído com 12.5 mil garrafas plásticas e tinha uma pequena horta a bordo.

Procurando chamar atenção para questões ambientais, a embarcação navegou de São Francisco, Califórnia, na costa oeste dos Estados Unidos, até Sidney, na Austrália. O Plastiki é um catamarã especial, com os dois cascos feitos com 12.5 mil garrafas plásticas e as velas feitas de plástico reciclado pegavam o vento presas a um mastro feito com um cano de alumínio para irrigação. Tudo reutilizável.

No melhor estilo Waterworld, a água potável era coletada da chuva e filtrada em uma mini estação e tratamento. A energia elétrica era captada parte em placas de energia solar, parte com pedais ligados a um gerador.

Depois de atravessar oito mil milhas náuticas em quatro meses, visitando alguns picos emblemáticos na luta pelo meio-ambiente, como ilhas que estão quase sendo submersas, a Grande Ilha de Lixo no Pacífico, e recifes de corais destruídos por mudanças climáticas.

E quem banca essa expedição toda é David de Rothschild – da família de banqueiros trilhardários Rothschild – que também é capitão do barco. “A história que contam pra gente sobre o plástico é que ele é barato, sem valor, não é tóxico, fácil de usar, e não precisamos nos preocupar em jogar fora porque podemos fabricar mais”, falou David ao Sydney Morning Herald. “Na verdade o plástico não é barato, é tóxico, tem valor, e usa muitos recursos naturais”.

Sem mais artigos