No dia 1º de outubro, comemora-se o Dia Internacional da Música. E o que não falta hoje é uma extensa cultura musical. Novas bandas e artistas surgem a todo momento, impulsionados pelo desenvolvimento da tecnologia: agora, qualquer pessoa pode compor suas músicas, gravá-las e disponibilizá-las em uma página no MySpace, por exemplo.

Para celebrar a data, o Virgula Música elaborou uma pequena lista de dicas para quem está pensando em ingressar no mundo da música. Nossa inspiração foi o site E How, que ensina como fazer absolutamente tudo: de como aprender a tocar guitarra a montar uma bomba caseira.

Como formar a sua banda?

A maioria das bandas começa de maneira descompromissada: alguns amigos se juntam na garagem de casa, pegam seus instrumentos e começam a tocar. Além disso, você pode promover audições para encontrar bateristas, guitarristas e outros instrumentistas que desejar. Para isso, use o Orkut, que possui várias comunidades dedicadas ao assunto.

Como marcar shows?

Para conseguir uma boa base de fãs, é essencial fazer muitos shows. Música que só existe no MySpace não circula se não for boa ao vivo. Para mostrar a energia da sua banda, é essencial que você vá a outros shows para estabelecer contatos com outros artistas, divulgue seus clipes e vídeos no You Tube e entre em contato com donos de casas noturnas e agitadores culturais para criar contatos e mostrar seu trabalho.

Como registrar minha música?

Se você pretende lançar suas músicas no mercado, precisa pensar em como disponibilizá-las ou protegê-las de acordo com os parâmetros das leis de direito autoral. Uma das maneiras mais rápidas e simples de registrar as criações em seu nome – para que ninguém possa usá-las indevidamente ou sem sua autorização – é o Creative Commons.

Esse serviço oferece quatro tipos de licença: atribuição, que permite que outras pessoas copiem, executem e distribuam sua obra e derivados criados a partir dela livremente, mas citando os créditos; uso não-comercial, que permite cópia, distribuição, execução e criação de obras derivadas, mas sem fins comerciais; não a obras derivadas, que permite apenas cópia, distribuição e execução; e compartilhamento pela mesma licença, que significa que outras pessoas só podem distribuir obras derivadas se tiverem a mesma licença que rege suas criações.

Outra opção, mais burocrática, é registrar sua canção na Biblioteca Nacional. O processo de registro demora cerca de três meses, quando o autor recebe o certificado de propriedade e direitos autorais totais sobre as obras registradas.

Como difundir minha música na Web?

Antes de mais nada, é legal criar um perfil no My Space, disponibilizando algumas ou todas as músicas para audição em streaming. Também é importante distribuir seu material por diferentes redes sociais: crie um perfil no Twitter, no Orkut, no Facebook e no Flickr, atentando para não deixar nada desatualizado. No Twitter, por exemplo, é uma boa responder aos replies dos fãs e, no Orkut, disponibilizar links de material da banda, por exemplo. E atenção: nada de spam.

Como criar um nome para a minha banda?

Na hora de batizar sua banda, todo cuidado é pouco. O certo é importante criar um nome simples, que seja lembrado sem dificuldades. Tome cuidado com nomes muito cheios de referências ou curiosos: acredite, mas existe uma banda americana chamada Natalie Portman’s Shaved Head (em português, “a cabeça raspada de Natalie Portman”).

Como fazer remixes ou utilizar samples de outros artistas em minhas faixas?

Utilizar qualquer material de outro artista é uma questão delicada: para se garantir, o ideal é escolher faixas abertas disponibilizadas por bandas em multitrack (ou seja, com os instrumentos e as vozes em canais separados). O risco que você corre ao não prestar atenção nisso é ser processado por quebra de direitos autorais. Mas relaxe: muitos artistas estão deixando suas faixas abertas para criações de fãs e outros músicos.

Como fazer meu próprio estúdio?

É complicado e não custa muito barato, mas nada impede que você tente construir seu próprio estúdio de gravação. Para isso, você precisa de um bom computador para gravar e reunir as faixas: o Macintosh costuma ser o mais utilizado. Você também precisa de microfones, uma mesa de som e outros instrumentos que ficam a seu critério, como sintetizadores e equalizadores profissionais.

Como ser um bom DJ?

Hoje, a farofa em volta da profissão é tão grande que o que não falta hoje é celebridade atacando de DJ. Mas ser um bom profissional do ramo dá trabalho. Para isso, é necessário fazer muitos cursos, investir em equipamento de qualidade, ouvir sets de outros DJs para ficar antenado nas tendências, promover sua própria festa e, o mais importante, criar uma identidade sonora própria e reconhecível.

Como criar um estilo visual próprio para a minha banda?

Longe de ser mera futilidade, o aspecto visual é essencial na hora de mostrar ao público a identidade do grupo. Grande parte dos artistas que começam a estourar tem como característica forte o domínio da moda e do estilo: exemplo é a banda Cine, que sempre usa roupas coloridas, variadas e com uma aparência jovem, descolada e relaxada, tudo a ver com o som deles. Acredite: dá certo investir no visual!

Como criar meu próprio selo musical?

Comece escolhendo um nome fácil e que se identifique com o estilo de música que você pretende lançar. Registre o nome para que só você possa usá-lo, abra uma conta empresarial em um banco e oficialize seu empreendimento para que você possa começar a pagar os impostos necessários para a legalização. Após escolher uma “sede” oficial para sua empresa, você precisa de uma licença comercial para começar a trabalhar e contratar seus próprios funcionários.

Sem mais artigos