O Boca Juniors fechou 2009 com um
prejuízo de US$ 35,3 milhões, o maior entre os clubes da Argentina,
informou uma lista divulgada hoje pelo jornal La Nación.

De acordo com a publicação, apenas Racing, Colón, Chacarita
Juniors, Lanús e Godoy Cruz terminaram com as contas em dia. O total
de dívidas totaliza US$ 262,4 milhões.

O segundo maior prejuízo em 2009 foi do Independiente, com US$
34,9 milhões. Aparecem em seguida River Plate (US$ 33,4 milhões),
Newell’s Old Boys (US$ 22,6 milhões), e San Lorenzo (US$ 18,6
milhões).

Os cinco primeiros lugares da lista são ocupados por quatro dos
clubes mais populares do país: Boca Juniors, River Plate,
Independiente e San Lorenzo.

O Lanús foi o clube que mais dinheiro arrecadou ano passado:
cerca de US$ 3,4 milhões, graças à venda de jogadores. O balanço
final foi de aproximadamente US$ 15 milhões, segundo Alejandro
Marón, um dos diretores do clube.

Lutando para não ser rebaixado, o Racing registrou superávit de
US$ 684 mil, o primeiro desde que a administração do clube voltou às
mãos dos sócios, em 2007.

O Colón, da província de Santa Fé, fechou ano passado com um
superávit de US$ 631 mil, enquanto o Godoy Cruz, de Mendoza,
registrou um balanço favorável de US$ 171 mil. O modesto Chacarita
Juniors anunciou US$ 44 mil.

O Boca Juniors tem o elenco mais caro do futebol local, com nomes
como o meia Riquelme e o veterano atacante Palermo.

Já Daniel Passarella, ex-técnico do Corinthians e que assumiu a
Presidência do River no início de dezembro, lamentou o déficit
mensal de US$ 1 milhão e não prevê grandes contratações para a
próxima temporada

Sem mais artigos