A Bolsa de Valores de São Paulo seguiu o bom humor mundial, completando cinco pregões consecutivos de alta carregada pela divulgação de bons dados corporativos e por indicadores positivos nos Estados Unidos, como a redução nos pedidos de seguro-desemprego.

Ao final da quinta-feira, o Ibovespa avançou 1,08%, aos 58.535 pontos, com giro financeiro de aproximadamente R$ 5 bilhões. Foi a primeira vez no ano em que a Bovespa superou os 58 mil pontos, sendo que a valorização é de quase 56% no ano e de 99% em relação ao fechamento de 27 de outubro de 2008, auge da crise financeira, quando o mercado ficou em 29.435 pontos.

Entre as principais ações da Bovespa, Petrobras e Vale ganharam, respectivamente, 1,03% e 1,60%, enquanto Gerdau avançou 1,72% e Bradesco avançou 0,69%. Nos Estados Unidos, o dia também foi de alta, com Dow Jones subindo 0,84%, para o maior fechamento do ano, Nasdaq ganhando 1,15% e S&P 500 avançando 1,04%.

Na Europa, o FTSEurofirst 300 teve variação positiva de 0,07%, a 988 pontos, acumulando já alta de 19% desde o início do ano, enquanto Frankfurt ganhou 0,37%. Na contramão, Paris teve pequena retração de 0,05% e Londres destoou, recuando 0,33%.

Já a cotação do dólar comercial recuou 0,81%, valendo R$ 1,821 para venda, enquanto o euro caiu 0,22% e fechou em R$ 2,654.

Sem mais artigos