Brasil e Equador começam a
decidir, a partir desta sexta-feira, em Porto Alegre, uma vaga no
Grupo Mundial da Copa Davis.

O confronto será realizado em quadra de saibro, piso preferido
das duas equipes, e será aberto com a partida entre Marcos Daniel,
número 1 do Brasil e 56 do ranking da ATP, contra Giovanni Lapentti,
segundo representante do Equador e número 211 do mundo.

Apesar da diferença na classificação, foi o equatoriano quem
levou a melhor nos dois confrontos entre ambos.

A partida seguinte será disputada entre o irmão de Giovanni, o
veterano Nicolas Lapentti (144º), que já esteve entre os dez
melhores do ranking da ATP, e Thomaz Bellucci, atual número 65 da
classificação.

No sábado, acontecerá o duelo de duplas, que tem o favoritismo
dos brasileiros Marcelo Melo e André Sá frente aos irmãos
equatorianos.

No domingo, estão programados os confrontos entre Marcos Daniel e
Nicolas Lapentti e, se necessário, entre Thomaz Bellucci e Giovanni
Lapentti.

Apesar de estarem melhor ranqueados atualmente, os tenistas do
Brasil disputaram menos partidas na Copa Davis, o que foi lembrado
pelo número 1 dos equatorianos.

“Nem sempre o ranking conta mais em uma Davis. Bellucci e Daniel
têm pouca experiência nesta competição, e tanto eu como Giovanni a
jogamos há anos”, alertou Nicolás.

Brasil e Equador se encontraram seis vezes na Copa Davis, com
quatro vitórias para os brasileiros, que ganharam também os dois
últimos confrontos.

A equipe não participa do Grupo Mundial da Davis desde 2003,
enquanto os equatorianos não fazem parte da elite do tênis por
nações desde 2001.

Sem mais artigos