A seleção brasileira de basquete
masculino conseguiu nesta sexta-feira sua terceira vitória
consecutiva na Copa América, disputada em Porto Rico, desta vez
sobre a favorita Argentina, pelo placar de 76 a 67.

Em partida válida pelo grupo B, os argentinos somaram sua segunda
derrota na competição. Sem suas principais estrelas, precisam vencer
o Panamá neste sábado para continuar com chances de conquistar uma
das quatro vagas para o Mundial da Turquia, em 2010, em disputa na
Copa América.

No eterno clássico sul-americano, o brasileiro Anderson Varejão e
o argentino Luis Scola, ambos ala-pivôs, travaram um duelo à parte e
foram os destaques do jogo.

Sob o comando do técnico espanhol Moncho Monsalve, o Brasil
dominou toda a partida. Logo no primeiro quarto, os argentinos até
ficaram à frente no placar, mas a festa durou pouco: foram para o
intervalo perdendo por 21 a 13.

Os brasileiros ampliaram a vantagem no segundo quarto e
encerraram o primeiro tempo da partida vencendo por 37 a 23.
Destaque para a atuação de Varejão, que fez 13 pontos e seis
rebotes.

No terceiro quarto, o centro das atenções foi o árbitro italiano
Fabio Facchini. Ele marcou quatro faltas técnicas individuais contra
jogadores de ambas as equipes, que foram repartidas igualmente entre
as duas seleções – Scola e Prigioni pela Argentina e Marcelo Huertas
e Varejão pelo Brasil.

Apesar dos muitos erros nos arremessos de três pontos dos dois
lados da quadra, os brasileiros continuaram a se sobressair e a
ampliar o placar, principalmente com as jogadas e cestas de Varejão
e Leandrinho.

A Argentina pareceu esboçar uma reação entre o final do terceiro
quarto e o início do último, mas nada que parasse a seleção
brasileira. Para completar, Scola deixou a quadra depois de cometer
sua quinta falta coletiva a quatro minutos do final da partida. Ele
foi o maior pontuador argentino, com 19 pontos.

Pelo lado do Brasil, Leandrinho foi quem mais pontuou (21),
seguido por Varejão (19).

Depois da vitória, Monsalve declarou mais uma vez que, se o
Brasil quer uma vaga no Mundial do ano que vem, não pode tomar mais
de 70 pontos por partida. Até agora, seus comandados têm conseguido
tal objetivo, já que venceram a República Dominicana por 81 a 68 e a
Venezuela por 87 a 67.

“Tivemos a sorte de enfrentar uma grande equipe da Argentina. A
defesa foi extraordinária, mas é preciso lembrar algumas coisas. A
Argentina fez até melhores trabalhos defensivos do que nós”, afirmou
o treinador do Brasil.

O espanhol também disse que “o jogo ofensivo do Brasil é
discreto. Temos que jogar melhor no ataque, estamos um pouco
passivos. É preciso mudar o movimento da bola e fazer mais cestas”,
explicou.

A seleção brasileira só volta a jogar pela Copa América às 17h
deste domingo (horário de Brasília), contra o Panamá, na última
partida da primeira fase da competição.

Sem mais artigos