Após as restrições adotadas para a cota de passagens aéreas, a própria Mesa Diretora já abriu caminho para o aumento salarial dos deputados. Na avaliação dos líderes, será necessário compensar o corte de benefícios com um upgrade salarial. A intenção é equiparar a remuneração dos parlamentares com a dos ministros do Supremo Tribunal (STF). Estes recebem R$ 24,5 mil mensais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), anunciou a criação de uma comissão para apresentar uma proposta de reforma nos próximos 30 dias. “Muitas vezes o recuo é para avançar”, disse Temer.

Para evitar maior desgaste político, a ideia é aprovar o pacote agora, mas pôr em prática neste ano apenas os cortes de gastos. O salário mais alto entraria em vigor depois, provavelmente 2011, quando assumirão os novos deputados.

“Sou a favor de uma reforma arrojada. A resposta precisa ser completa. Isso vai depender de apoio político e da consciência da Casa”, disse o corregedor da Câmara, ACM Neto (DEM-BA). Ele listou o que entende ser essencial na proposta: transparência, economia de recursos públicos e garantia de condições para o exercício do mandato.

Câmara corta farra aérea, mas prepara contra-golpe com aumento salarial

Sem mais artigos