O Superior Tribunal de Justiça (STJ) julga nesta terça-feira (20) um pedido de indenização do grupo Camargo Corrêa à União. A ação, de 1994, pode chegar a R$ 7 bilhões (em valores corrigidos). As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Trata-se de uma ação de cobrança indenizatória que poderá obrigar a Eletronorte a pagar tal quantia ao Cnec (Consórcio Nacional de Engenheiros Consultores), empresa de consultoria do grupo Camargo Corrêa.

A Cnec prestou serviços ao setor elétrico público federal nas décadas de 70 e 80. Em 1991, a Eletronorte cancelou os contratos. Dois anos depois, realizou-se acerto de contas, no qual a Cnec deu quitação. Porém, em 1994, a empresa ajuizou ação de cobrança indenizatória por “custos financeiros”.
A empresa alegou que a Eletronorte atrasou pagamentos em época de inflação alta, que isso a obrigou a tomar recursos em bancos e que, portanto, aumentou seus custos.

Sem mais artigos