Falta pouco, mas ainda dá tempo de desfilar no Carnaval. Como muita gente deixa pra decidir na última hora, a procura pelas fantasias cresce na véspera das festividades. E os organizadores das escolas de samba correm contra o tempo para acertar a vestimenta de cada folião e dar as instruções necessárias para o desfile.

Em São Paulo ou no Rio de Janeiro, o preço para desfilar varia de acordo com a fantasia e com a escola de samba. Pode custar entre R$ 150 e R$ 700. Mas, como se sabe, a beleza é uma qualidade a mais para as mulheres. Com uma grana extra, elas podem tentar uma vaga em carro alegórico por até R$ 4 mil. Para qualquer um dos casos, a dica é procurar diretamente as escolas e evitar intermediários, já que o tempo para decidir a fantasia, acertar os detalhes e entrar na avenida é bem curto.

Com algumas indicações de preços e muitas dicas, o Virgula preparou este guia para você que está atrasado, mas não quem perder tempo para entrar no sambódromo.

Rio de Janeiro

O Carnaval é uma data bastante importante e tradicional para muitos cariocas. Assim que os desfiles acabam e as notas são divulgadas, um novo ciclo é iniciado e as escolas já começam a pensar no próximo ano. Inclusive, os ensaios das comunidades começam cerca de 5 meses antes dos desfiles, por volta de outubro e novembro. E se você quer sentir um pouco dessa emoção que domina a Cidade Maravilhosa, fique tranquilo, ainda dá tempo.

Confira os dias e horários dos desfiles do Rio de Janeiro

“A pessoa que quiser desfilar agora não precisa participar dos ensaios. Eles são obrigatórios apenas para o pessoal da comunidade, que quer desfilar sem pagar”, diz Luiz Carlos Bruno, carnavalesco da Tijuca. Carlos Carvalho, assistente do carnavalesco da Beija-Flor, aconselha: “Se decidiu desfilar de última hora, procure os contatos das alas comerciais e se informe sobre os valores e fantasias”.





Ficou preocupado com o samba-enredo? Relaxe. “O melhor jeito da pessoa decorar o samba-enredo é ouvindo o CD, com as músicas. Mas no nosso site tem a letra do samba também”, diz Carlos Carvalho. Normalmente, nos sites oficiais, o pessoal das escolas costuma divulgar as letras.

Para quem está podendo gastar, algumas opções do Rio de Janeiro são as escolas Beija-Flor e Salgueiro, que tem vagas pelo preço de R$ 600 a R$ 700. Na escola de Nilópolis, é possível encontrar até fantasias em alas da comunidade. E como os encarregados estão querendo fechar as suas alas, é possível encontrar fantasias mais baratas, por volta de R$ 500.

Já a Viradouro, Mocidade, Portela e Grande Rio possuem preços parecidos, em média a fantasia sai por R$ 500 e R$ 600. Além do mais, o interessado pode parcelar a compra, através do cartão de crédito, e ficar com a sua fantasia. Então, quem quiser exibir a fantasia na avenida, deve procurar os responsáveis pelas alas das escolas e correr para garantir a sua. É possível encontrar maiores informações sobre cada escola em seus sites oficiais.

São Paulo

Apesar do desfile paulistano ter menos apelo turístico em comparação ao Rio, o Carnaval de São Paulo também envolve muita tradição e profissionalismo. E preços mais em conta. Na Vai-Vai, campeã em 2008, quem estiver disposto participar do desfile que promete conquistar o bicampeonato precisa desembolsar um mínimo de R$ 400. “E correr pra garantir a fantasia”, garante Niltes Aparecida Lopes de Souza, secretária-executiva da Escola.

Confira os dias e horários dos desfiles de São Paulo

“Qualquer um pode desfilar, mas é bom a pessoa ter identificação com a Vai-Vai e com o samba, principalmente. Mas as portas estão abertas a todos que quiserem atravessar nossa passarela e trazer mais uma estrela”, complementa. Niltes explica que ainda dá tempo de comprar uma fantasia para carro-alegórico, mas quem tem interesse precisa gastar cerca de R$ 4 mil. “É obrigatório ser mulher e ter bons atributos físicos“.





Já que vale o ditado “pagando bem, que mal tem“, os desfilantes de última hora recebem um rápido curso no momento da compra da fantasia sobre como proceder na avenida, além de um CD para ouvir repetidamente o enredo até entrar no Anhembi.

As fantasias são mais baratas quando o assunto é a Acadêmicos do Tucuruvi. A agremiação conseguiu um subsídio da prefeitura e cobra entre R$ 150 e R$ 350 dependendo da ala escolhida. Na Mancha Verde, as fantasias custam cerca de R$ 200.

“As fantasias são de vários tamanhos e com tecidos caríssimos e muito confortáveis. E qualquer um pode desfilar. Em média, a pessoa percorre em 35 minutos a avenida. É tranquilo”, resume Hussein Abdo El Selam, o Jamil, presidente da Tucuruvi.

Dicas para quem vai desfilar

Para não passar nenhum aperto na avenida, confira algumas dicas sobre como os desfiles funcionam. Alguns cuidados básicos, como alimentação correta, não exagerar no álcool e chegar com um tempo de antecedência no sambódromo, fazem toda a diferença na hora de aproveitar a folia. Portanto, veja abaixo os conselhos dos experts em Carnaval e aproveite sem crise.

>> Descanso: Apesar de cada ala ficar apenas de 30 a 35 minutos na avenida, desfilar pode ser bem cansativo. Por causa da espera na concentração, o calor e agito, o carnavalesco Luiz Carlos Bruno diz que “é importante estar bem descansado para o desfile”.

>> Alimentação: “No dia, tem que ter uma boa alimentação, e comer bastante fruta e massa, para dar energia. Também é bom evitar gordura”, diz Carlos Carvalho, da Beija-Flor. “Também é recomendável tomar bastante líquido, como suco natural”, completa.

>> Sintonia com o samba: Izulena de Jesus Almeida, passista da Vai Vai há 10 anos, também diz que é bom saber se envolver e se entregar ao momento. “É preciso ter a paixão para cantar o samba e se envolver com o som da bateria”, afirma. Para Izulena, o nervosismo é um sentimento presente nas concentrações e deve ser controlado. “O problema maior é controlar a ansiedade, respirar fundo e manter a calma”.

>> Bebedeira: Seja responsável no álcool, já que os organizadores da escola não terão receio em retirar a pessoa que estiver caindo de bêbada do desfile. “Pega mal para a imagem da escola ter alguém desse jeito na avenida”, alerta Carlos Carvalho.

>> Na concentração: Para correr tudo bem antes de entrar na avenida, basta prestar atenção nos presidentes das alas e nos diretores de harmonia. Caso ocorra algum problema, são eles quem ajudarão. Luiz Carlos Bruno aconselha: “Ao chegar na concentração, já procure o presidente de sua ala”. Os sambistas também advertem que é bom chegar com algumas horas de antecedência no local. “Assim ela vai ter tempo de se vestir com tranqüilidade”, diz Carlos Carvalho.

>> Transporte: Evite ir de carro ao sambódromo, pois o trânsito costumar ficar bem carregado nos arredores do local. “Prefira ir de ônibus, metrô ou trêm. Para quem vai desfilar no Rio, são as melhores maneiras de chegar ao sambódromo”, diz o assistente de carnavalesco da Beija-Flor. Algumas escolas, geralmente as de São Paulo, organizam ônibus que saem direto das quadras e vão para o sambódromo, como a Acadêmicos do Tucuruvi, que fechou cerca de 60 ônibus para transportar os foliões.

Sem mais artigos