Subiu para 113 o número de vítimas fatais em decorrência do incêndio na cidade de Perm, na Rússia, depois que uma mulher que estava internada em estado grave em um hospital da cidade morreu nesta segunda-feira.


 


Segundo uma fonte do hospital, a mulher, de 26 anos, “estava respirando com ajuda de aparelhos e seu estado de saúde era extremamente grave”, informou a agência oficial russa “Itar-Tass”.


 


O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, anunciou que o Ministério de Situações de Emergência está realizando controles adicionais de clubes, salas de espetáculos e espaços similares.


 


“Mas o importante agora é salvar aqueles que sofreram queimaduras e ferimentos. Muitos se encontram em estado muito grave”, disse Putin à agência oficial “RIA Novosti”.


 


As autoridades de Moscou disponibilizaram diversos pontos de doação de sangue para os feridos no incêndio de Perm. Cerca de 100 deles foram transferidos de avião a centros médicos especializados da capital, de São Petersburgo e Tcheliabinsk.


 


O Departamento de Saúde de Moscou informou que um total de 65 feridos no incêndio – 41 mulheres e 24 homens – estão em seis hospitais da cidade, e 32 deles se encontram em estado muito grave, 31 graves e dois em média gravidade.


 


Em centros médicos especializados de São Petersburgo há 28 internados, enquanto, em Tcheliabinsk, estão sete. Além disso, outras 21 pessoas permanecem hospitalizadas em Perm.



O Comitê de Instrução da Procuradoria Geral da Rússia informou no sábado que cinco pessoas foram presas, acusadas de terem responsabilidade no incêndio na casa noturna.


 


Os detidos são dois proprietários do estabelecimento, a administradora, o diretor artístico e um autônomo que instalou o sistema fogos de artifício que provocou o incêndio, segundo a investigação preliminar.


 


No momento do acidente, acontecia uma festa que comemorava o oitavo aniversário do clube. Cerca de 300 pessoas estavam no local.


O presidente russo, Dmitri Medvedev, decretou luto oficial em todo o país.

Sem mais artigos